Que os guerreiros tenham fé em seu caminho!

Posted in Uncategorized on agosto 31, 2014 by Helen Ians

Que os guerreiros sejam bem vindos à Casa de Luz. Aproveitem este momento de limpeza, não só a limpeza dos guias, dos grandes guerreiros aqui da Casa, mas também momento de cada guerreiro fazer o seu encontro com o Grande Espírito, e aproveitando estes momentos para que os guerreiros tirem de dentro de si, tirem de sua mente, os fantasmas e tudo aquilo que está atrapalhando o caminho de cada guerreiro. Que os guerreiros tenham fé em seu caminho, esperança, e que o Grande Espírito abençoe a cada um de vocês, guerreiros de luz.

NUVEM VERMELHA

Nenhuma folha, nada acontece, sem que Deus, nosso Grande Pai, permita.

Posted in Uncategorized on agosto 31, 2014 by Helen Ians

Conceição não sabe falar, muitas palavras brutas… Mas queria contar uma coisa.

Quando alguém era castigado aqui na Terra, assim sem fazer o que tinha falado que tinha feito, e todo mundo sabe aqui que no tempo de Conceição, todo mundo que cismava, ia para o tronco.

E quando apanhava, chegava um ponto em que nem sentia mais dor. E não porque estava quase desmaiando, mas porque sempre vinha alguém, – Conceição fala um espírito, para vocês entenderem – e não deixava alguma coisa acontecer, que não tivesse que acontecer.

O que eu quero dizer é que nenhuma folha, que nada acontece, sem que Deus, nosso Grande Pai, permita. Uns podem falar – mas então não acontecia o castigo? Acontecia. Mas a dor que vinha dele podia não acontecer. Então meus filhos, confiem, pensem que o c chicote pode bater mas que você não precisa e não vai passar aquilo que o Grande Pai não está vendo.

Conceição agradece por poder falar e deseja boa noite.

CONCEIÇÃO

Rompendo a inércia.

Posted in Caminho Sagrado, Casa de Luz, Conselhos on agosto 31, 2014 by Helen Ians

Vou ser breve e dar um exemplo de uma brincadeira de menino mas que tem a ver com o que vocês estão passando. Duas brincadeiras de menino. Bate uma bola, a bola vai rolar, rolar, rolar, enquanto a força inicial para que ela rolasse, permanecer. Ela vai longe mas vai chegar o momento em que ela vai parar.

A outra brincadeira de menino é quando, em uma superfície serena de um lado, se pega uma pedra lascada, ou uma lasca de pedra, e se tenta que, no primeiro toque com a água, esteja na superfície. Ela vai, vai, e toca em vários pontos da superfície e sempre que toca, forma vários círculos concêntricos. E estes círculos vão diminuindo a sua circunferência. Na medida em que vai cessando o impulso, a força, até que a pedra afunda.

Muito bem, estes dois exemplos querem dizer, espero, é exatamente o que vocês estão passando. Lançou-se a esfera. Jogou-se a pedra lascada. Só que alguém, do outro lado, no caso da pedra lascada, e do outro lado, no campo aberto, alguém atirou esta bola, bateu nesta bola, e atirou a pedra do lado contrário. Ou seja, vai começar tudo de novo. Até que se extinga outra vez a inércia. E isto sirva para cada um de vocês e para o conjunto que vocês chamam, e é assim, sociedade. Portanto, pedimos a vocês que sejam atores da ação. Que sejam agentes da ação e nos ajudem a lançar de volta aquilo que nos foi jogado ou atirado.

Como traduzir na prática uma brincadeira de meninos e uma teoria, quem sabe, da vida? Que é assim: o que pedimos a vocês, e isto já foi dito, reiteramos – ajudem-nos, ajudem a corrente, purifiquem a energia com ações que correspondem ao que vocês podem dar, que é o seu talento, a sua competência, a sua boa vontade. Principalmente, a sua consciência, de que vocês não são passivos, de que vocês não são e não podem e nunca serão alvos, porque vocês são flechas, porque vocês são pedras lascadas, porque vocês são esferas, perfeitas, em todos os seus lados, e capazes de levar a energia. Se depender de nós, vocês jamais serão alvos. Vocês são flechas, são pedras lascadas. Da mesma forma, são esferas que rolam, e quando a força vai terminar, alguém do outro lado, na mesma sintonia, vai devolver isso, só que com outro espírito, para que o movimento não cesse.

Estamos, assim, em um trabalho conjunto e eu espero a contribuição possível de cada um de vocês. Deus os abençoe, meus irmãos. A corrente hoje está muito leve aqui nesta casa. Muito agradecido ás égides de luz aqui presentes e à energia que cada um de vocês nos traz. A presença de vocês é essencial para que possamos trabalhar juntos, pelo bem, pela dignidade e pelo amor entre nós todos.

PEDRA ALTA

Saiam da sua zona de conforto e iniciem a batalha pela vida.

Posted in Uncategorized on agosto 31, 2014 by Helen Ians

Só gostaria de pedir aos irmãos, como foi dito aqui inclusive na reunião passada, e também dito hoje pelo irmão, nós podemos ajuda-los, sim, mas a grande diferença e quando vocês mesmos tomam atitudes, saem para batalhar, para lutar, se fortalecem na fé e nas palavras de Deus Pai Todo Poderoso.

Nós, sozinhos, não podemos fazer nada para vocês. Vocês, sim, tem em suas mãos o poder da transformação, o poder da mudança, o poder do êxito e cabe a cada um de vocês erguer a cabeça e lutar por tudo aquilo que procuram. Mas sempre com o coração transbordando de humildade, de fé e de amor a Deus Nosso Pai.

Peço a todos que saiam da sua zona de conforto e iniciem a batalha pela vida, pela sobrevivência e pela felicidade de cada um. Agradeço a oportunidade e peço a Deus que ilumine a todos.

JURACY

Pequenos caminhos, começo de mudança.

Posted in Arte de viver on agosto 31, 2014 by Helen Ians

Como um feixe de luz que ultrapassa pequenas frestas para romper a escuridão, vocês devem procurar pequenos raios de luz para ter a certeza de que nada é intransponível.

Pequenos caminhos podem, sim, ser o começo de uma mudança.

Psicografado por Viviane.

Se não existir o equilíbrio, em seu eixo, nada acontece.

Posted in Ajuda espiritual, Casa de Luz, Conselhos on agosto 31, 2014 by Helen Ians

AlligatorLakeExiste no caminho de cada guerreiro, aqui na Terra, uma energia que toma conta e faz com que os irmãos caminhem, evoluindo no seu dia-a-dia e vão deixando para trás aquilo que traz fantasma na mente. Isso se dá porque a cada degrau, a cada caminho, a cada evolução aqui na Terra, os guerreiros estão sendo transformados e se transformando em um guerreiro de luz pelo simples fato de caminharem.

Se os guerreiros caminham na terra é porque acreditam, porque neste caminho já conseguem enxergar a esperança, como bem disse a guerreira Juracy, a fé, a luta pelo caminho de suas conquistas, e este é o motivo de caminharem alegres no caminho do Grande Espírito.

Muitas vezes, porém, a corrente acompanha alguns guerreiros e percebe que o guerreiro tem caminho livre pela frente, com energia, com fé, com esperança, com força, com luta e, no momento que é para fazer um caminho reto, caminharem, sem se contaminar com energia ruim, sem se contaminar com palavras, quando começam a perceber alguns fantasmas à sua volta, em forma de energia, acabam parando para fazer a conversa com o fantasma. Ou até mesmo sabendo que tem o caminho reto e a sede é grande, e também sabendo que naquele rio (lago como vocês falam na Terra), tem jacaré, alguns ainda param na beirada do lago, ainda colocam o pé na lama, para tomarem a água, contando com a sorte, “que o jacaré não vai pegar”.

GlafsfjordenIsto porque, se caminharem mais um pouco, existe um rio limpo onde os guerreiros não vão precisar atolar o pé para pegar água limpa. E tudo isto Cacique fala porque já sabem do próximo rio, do próximo lago, mas se ouve: “é rápido, afunda um pouco o pé, toma um pouco de água”. Isto porque “sou protegido e o Grande Espirito ajuda”. Cacique já viu muitos onde o Grande Espírito do lado deixou o guerreiro se queimar, ou ser mordido, ou comido pelo jacaré. O excesso do fantasma atrapalha, e o excesso também do Grande Espírito atrapalha. Faz o guerreiro ficar cego e, da outra forma, do mesmo jeito. Assim como Cacique falava aos guerreiros em Terra, na tribo nossa, guerreiro Alce Negro a mesma coisa: se não existir o equilíbrio em um só ponto, onde este ponto é o seu eixo, nada acontece. E os guerreiros, sim, parecem gostar de parar no rio do jacaré porque não pensam que é só caminhar mais um pouco e o rio está limpo, lá para frente.

É preciso que os guerreiros aprendam, assim como era traçado para os guerreiros nossos, a caminharem com segurança. Não adianta apenas ter vontade, ter transformação, e escutar Grande Espirito – vai à montanha e escuta, consegue fazer vista de visão longa – se os guerreiros não conseguem encontrar, dentro de si, este ponto.  Desperdiçam um caminho porque não pensaram e no momento em que chegam à luz, muitas vezes a luz fica mais longe. E, sim, é preciso caminharem com segurança – não com excesso de Grande Espirito, que Cacique olha como loucura, ou excesso de fantasma, também loucura. Cacique falava isso em Terra. Um guerreiro completo equilibra o seu pensamento, a sua energia, a sua força, a sua fé, a sua esperança. Como Cacique disse, não adianta apenas ter força, fé, esperança se no momento do passo, é para dar um passo a mais e não é para parar.

Um guerreiro completo, quando Cacique fala completo quer dizer guerreiro com visão longa, forte, não se deixa abater por fantasma, não se deixa abater por nada. Se ele acredita naquilo, acredita e segue o seu caminho. Não vai dar importância à energia ruim, a fantasma, a pedra no caminho, não vai dar importância a fantasma e sabe por que guerreiros? Porque tem realmente como verdade, a luz. Porque tem como verdade o objetivo maior que está dentro de si, que está contido em si. Não é um falso desejo, ou falsa busca. ou para alimentação do ego, ou do orgulho ou vaidade. Ou até mesmo, que é o que acontece muito nestas luas, que é chamarem a atenção. Se os guerreiros, para muitos, o chamar a atenção, como diz o guerreiro Peão, pega o espelho e fica se olhando no espelho, conversa com si mesmo e quem sabe vai conseguir descobrir o seu nome.  Aí, sim!

Agora um guerreiro que tem tudo, tem força, tem vontade, caminho livre, e isso Cacique fala no geral, como vocês falam na Terra, até mesmo para tratamento de saúde como é feito pelos xamãs aqui na Casa, a mesma coisa: se os guerreiros não tiverem fé, convicção. Fé não é na corrente. Os guerreiros de luz aqui não estão preocupados em saber se tem um guerreiro acreditando ou não no trabalho, ou acreditando ou não se existe um espírito aqui. O que menos preocupa é isso. Para nós, é indiferente se acreditam ou não. Nós nos importamos, sim, se o guerreiro acredita em si mesmo. Se um guerreiro vier aqui, e houver a permissão da Grande Luz de fazer a cura, o guerreiro acreditando ou não, a cura vai ser feita. Se tiver permissão, sim; se não tiver, não vai ser aqui a cura. É simples. Isto já é visão onde se caminha na Terra e se sente a terra. Não é visão de fantasia. Como diz o guerreiro Peão, seria fácil fantasiar, mas aqui não.

Por isso, guerreiros, aproveitem aquilo que é dado a cada um. Aproveitem aquilo que é dado de energia, de força. Vocês, guerreiros, se transformem a partir de vocês, onde, sim, existe uma corrente acompanhando, mas de nada adianta apenas a corrente acompanhar. Assim como seria fácil também falar aqui na Casa, aos guerreiros, que, sim, guerreiros irmãos, como é falado, a salvação está aqui dentro desta Casa. Aí cai na fantasia de novo. Não é assim. Trabalho sério não é assim. Por isso, o que importa a vocês, guerreiros é o que está dentro de cada um. O que importa é a sua força em não desviar do caminho à sua frente.

Se os guerreiros querem alcançar, sigam em frente, não se deixem parar por palavras, mesmo que sejam até de pessoas próximas. Siga à sua frente. Se acreditam, se tem verdade, se tem amor naquilo que estão fazendo e acreditam naquilo que estão fazendo, sigam sua intuição, sigam o seu compromisso , não escutem, sigam. Se a aldeia nossa tivesse escutado casaco azul lá para trás, teriam morrido antes, a aldeia teria sumido antes. E, sim, mesmo com proteção, mesmo com os guerreiros acompanhando, se você, guerreiro ou guerreira, der a oportunidade a uma energia contrária trabalhar no seu caminho, os guerreiros vão cair. Aí, os guerreiros perguntam: e a proteção? Sim, aí Cacique pergunta: e os sinais que os guerreiros estão mandando? Eu não percebi, eu não vi. Por que será que não percebeu? Ai os guerreiros caem de novo e a gente volta à estaca zero, o guerreiro é responsável pelo próprio caminho.

Este é o começo do caminhar, da transformação de cada guerreiro. Quantos vão querer que o guerreiro pare, que o guerreiro não faça, que o guerreiro desista, quantos vão levar o guerreiro, principalmente quando o guerreiro amigo ou conhecido, um guerreiro derrotado, como é que se pede conselho a uma pessoa derrotada? A resposta é “não vá”, os guerreiros já sabem. Quando Cacique fala “derrotado”, não é ter alguma coisa.

Os principais guerreiros que o Cacique conheceu na Terra, tinham tudo de energia maior, força, força da palavra, força em atitude, força em guerra, só para os guerreiros entenderam. Bens materiais, nada. Guerreiro Peão fala a mesma coisa a Cacique agora. Está falando que os guerreiros também que conheceu tinham força em palavra, em guerra, em atitude, também não tinham nada. Como também existe guerreiro de palavra, força, coragem que, sim, pelas suas conquistas, conquistaram aquilo que lhes é de direito. Para quem acha que reunião espirita é o não conquistar, não é nada disso. Sim, é de direito de cada guerreiro. Se os guerreiros antes não se conquistarem, não se olharem, não se transformarem, nada acontece. E vão parar no primeiro rio, e o jacaré pega.

Aquele guerreiro que segue o rio e caminha, continuando, achando que foi apenas tomar água, tomou e saiu de lá sem se arranhar, saiu de lá inteiro e continuou o seu caminho. Não esquece que pé está cheio de barro e não vai mais conseguir sentir a terra, em algum momento a flecha pega. E não adianta falar para a corrente que não sabia. Todos os guerreiros sabem o que fazem e sabem onde põem o pé e sabem também o que pode acontecer.  “Mas foi só um pouco de água”… Este pouco de água custa caro e custa a vida. Se realmente os guerreiros querem, e todos aqui têm, porque pelo fato não de estarem vindo aqui, mas pelo fato de terem a boa vontade, vocês, guerreiros, de estarem abrindo o canal para que as coisas aconteçam e o guerreiro tenha uma luz. Nada adianta se o guerreiro apenas sentar, escutar as mensagens, e lá para fora, como era falado pelo Prof. Policarpo, fazer tudo ao contrário. Não adianta.

Não é fazer porque nós estamos falando. Não é isso. A intenção nossa não é criar dependência dos guias, dependência. Pelo contrário: é fazer os guerreiros perceberem o que estão fazendo com si mesmos, não com nós. A desculpa maior são vocês mesmos.

Quando saem do primeiro rio, pé cheio de barro, o guerreiro vai achar uma desculpa – “a conversa é rápida, fui tomar água rápida e sai, fiz até amizade com o jacaré”. É assim que acontece.

Terpening PassageGuerreiros, não é assim que se caminha. E mesmo caminhando com toda esta força, como o Cacique disse, não deixa a energia ruim encostar em guerreiro ou guerreira.

Não se escutam guerreiros derrotados, não se escuta guerreiro, isto Cacique fala num processo onde estão caminhando para uma guerra. Imagine tribo nossa caminhando para uma guerra e os guerreiros começam: é melhor não ir, é melhor não sei o que, é melhor…

Aquele que não quer ir, fica – não é obrigado a ir.

Se caminharem retos, sentindo a terra, com determinação, com coragem, esperança, os guerreiros vão encontrar a força maior que precisam para caminharem.

E se os guerreiros olharem à sua volta, e se sentirem sozinhos, não há problema algum. Porque com a sua fé e a sua esperança, se os guerreiros, naquele momento que se sentirem sozinhos, se concentrarem, por um momento caminhando, vão escutar o tambor da guerra, a voz do Grande Espírito e se se concentrarem mais ainda, vão ver os guerreiros de luz à sua volta, caminhando juntos com cada um de vocês.

Aí Cacique pergunta: será que estão sozinhos?

Cacique agradece a todos e que o Grande Guerreiro abençoa cada um de vocês, guerreiros.

A todos vocês, guerreiros de luz, Cacique agradece a energia. A todos os médiuns, Cacique agradece a energia. Guerreiros xaãs, guerreiro Falcão, Cacique agradece. E vocês, guerreiros, procurem levar o seu caminho, feliz, mas de uma forma mais séria. Que o grande Espírito abençoe a todos.

NUVEM VERMELHA

Palestras 28 de julho 2014

Posted in Uncategorized on agosto 7, 2014 by Helen Ians
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 34 outros seguidores