Archive for the Arte de viver Category

Conheça sua própria natureza.

Posted in Arte de viver, Uncategorized with tags , , on junho 14, 2017 by Helen Ians

rock and nature

Gostaria de seguir na mesma linha do que vocês acabaram de ouvir, que a perfeição está de fato nas coisas mais simples da vida e outro conceito perfeito, da grande Senhora, que esteve aqui há instantes que é: conheça sua própria natureza. Acho que a noite promete. E eu gostaria que fosse nesta linha. E com alguns exemplos, que vem da Natureza, como as plantas, como foi bem dito, e como as pedras, que pela sua longevidade guardam segredos e a história de muitas civilizações.

Não sei se disse um dia mas repito: me chamavam Pedra Alta, não porque eu fosse imponente, como uma rocha, mas é que sempre que me procuravam, tinham certeza de que iriam me encontrar sobre algum rochedo. Mania de grandeza? Não creio porque nunca tive vaidade nisso ou em qualquer outra coisa. Mas admiravam, como eu me admirava da minha natureza, de querer enxergar, sempre, um pouco mais longe. Talvez no sentido de ajudar. Mas não vou ficar falando de mim. Não é uma apologia própria mas, sim, me referir a quem quer que faça isso e que tem a minha admiração. Alguns grandes homens tinham a habilidade e a sensibilidade de olhar os pássaros e neles projetar e por eles ter a visão longa. Sem ter que subir no rochedo. Mais fascinante, ainda, não? Pois é isso. O significado das coisas da Natureza, dos seres da Natureza, quando trazidos à nossa própria natureza.

Admiro muito pessoas que recendem ao cheiro da terra. Respeito imensamente aos que falam com a suavidade ou a firmeza do vento, cujas palavras vão, alcançam tantas pessoas tão longe. Hoje vocês escrevem mais do que falam e também esta é uma grande responsabilidade. Benditos sejam os escribas que deixaram suas memórias e, nelas, a memória do mundo, as civilizações.

Admiro aqueles que elevam a sua estatura, estatura física, sobre cavalos. Não por vaidade, mas pela mesma razão, de sentir sob si a força da natureza e olhar pelo menos um pouco mais acima do que se não estivesse montado.

Admiro aqueles que conduzem os cavalos mas se deixam por eles muitas vezes serem conduzidos. Assim como os nobres guerreiros nórdicos se referiram aqui à hora de remar, conduzir a nave ao rumo que se se sabe ou a que se quer chegar, e em outras horas deixar os remos e se deixar levar pela maré.

Acho fascinante como consigo, pelo menos pela lembrança desta vida na tribo, fazer referência ao mar que jamais vi. Quem sabe não tenha visto pelos olhos de uma águia. Talvez pudesse ter visto, ou mesmo sentido, respirado o ar marítimo lá em cima, quando ficava pensando sobre a vida. E a vida, meus companheiros, aqui no Conselho e vocês todos que me ouvem, é só aquilo que faz algum sentido.

Se vocês querem saber se estão vivendo intensamente, plenamente, parem um instante que seja e reflitam sobre o que você faz, o que você é, o que você quer, aquilo que você pede e pelo que agradece – faz algum sentido, qualquer que seja? Aí terão certeza de estar vivendo. Se não, a passagem pela Terra lembra muito aquelas touceiras de mato seco que rolavam nas areias do deserto, sem direção, ao sabor do vento, ressecadas, sem vida.

Eu prefiro, eu gosto, eu admiro as pessoas que tem viço. Não importa a idade. Mas que sejam “verdes”, no sentido da clorofila que sintetiza a luz do sul, por isso citei o verde. Gosto de gente colorida, feliz, como as bandeirinhas da festa que vem por aí.

Aproveitem esta noite. Há uma certa magia quando tocamos as coisas simples da natureza. As plantas, as pedras… Com as plantas aprendemos o que é fugaz, passageiro, que se transforma, que cresce, morre, deixa sementes, volta a nascer. Isso é vida. E as pedras? Coloquem o ouvido numa rocha. Ah! tenham sensibilidade de ouvir segredos de outras épocas, de outras civilizações, de outras vidas.

Muito agradecido a todos do Conselho pela honra, pelas presenças iluminadas no círculo, com o fogo sagrado desta estação. Que se multiplique pelas fogueiras. E a vocês, jamais esqueçam que tudo que fazemos é por vocês, e a energia que existe aqui e as formas de cura e atendimento só podem existir porque cada um de vocês traz um pouco da sua energia. São vocês que trabalham, são vocês que ajudam a quem precisa de ajuda. O restante é sintonia, cumplicidade, da verdadeira harmonia, não importando de onde vieram, não importando de quando estiveram mas, no momento, são todos, todos, unidos, brilhantes, aquecedores como a chama desta fogueira. É isso. Não só isso mas importante isso.

PEDRA ALTA

Espalhe o amor que recebeu e ele retornará

Posted in Arte de viver on maio 1, 2017 by Helen Ians

telling stories

Em diversas culturas, nas tribos indígenas, através até das parábolas, em histórias contadas na hora de dormir, ou ainda aquelas em que é necessário que se passe o ensinamento e ele deve ser feito da maneira mais sutil. Principalmente, que faça com que aquele que a escute, que a ouça, aprenda, não esqueça e passe adiante o conhecimento, a sabedoria.

Além de tudo isto, o que fica é a lembrança, a aprendizagem que temos com nossa família, o amor e o cuidado que talvez nem todos percebam naquele momento e que só a maturidade traga. Mas o que é impossível de se esquecer: o que aprendemos do exemplo, e do amor. Este amor perdura para toda a eternidade, mesmo quando os caminhos momentaneamente se separam, mas a ligação de afeto é eterna.

Refaçam o que aprenderem, passem adiante as suas lembranças, o amor que receberam, dupliquem, tripliquem, espalhem, e este amor vai retornar a vocês, mais uma vez.

Agradeço a oportunidade de estar mais uma vez nesta Casa de Luz e peço a Deus que abençoe a todos.

ANA NERI

Viver com leveza

Posted in Arte de viver with tags , on maio 1, 2017 by Helen Ians

vida leve

Aproveitando tudo que foi dito aqui nesta noite, quero lembrá-los que, para toda a ação, existe uma reação. Para tudo aquilo que é feito, há uma resposta, um retorno.

Fiquem atentos àquilo que estão semeando. Não tem como, como dizia nosso amigo e mentor Prof. Policarpo, plantar alho e colher cebola.

Não tem como semear discórdia, semear dúvidas, enfim, semear tudo aquilo que vocês não gostam e receber de volta carinho, atenção. Fiquem atentos pois a única coisa certa é a lei do retorno.

Vivam, sim, com a leveza. Passem para frente todo o conhecimento, lições de amor. Mas deixem de lado a soberba, o orgulho e a prepotência.

Que Deus nosso Pai nos abençoe e ilumine a cada um de vós.

JURACI

Nutram-se daquilo que é bom, daquilo que lhes dá prazer.

Posted in Arte de viver, Uncategorized with tags , on março 24, 2017 by Helen Ians

prazerÉ impossível não prosseguir nesta linha aberta aqui esta noite pela grande Senhora: o alimento. Nem vou falar sobre aquilo que vai à mesa. Principalmente nestes últimos dias, pelo que tem acontecido aqui. Mas um pouco vale a pena falar. Se há fartura e eu desejo de todo coração que haja para todos, sem exceção, à mesa, tudo aquilo que se prova, que se tem acesso, ele faz bem pelo gosto, pelo aroma, com certeza é bom alimento. Aquilo que você gosta. Se em alguns momentos, e todos passam por isso, não há tanta fartura, mas aquilo que é colocado sobre a mesa, é sagrado. E aquele pouco se torna, pela gratidão, a melhor coisa do mundo, a melhor iguaria e a mais sofisticada. Portanto é a emoção, o sentimento, menos do que a razão, que faz com que o alimento seja nutritivo. Até mesmo se não há tantos nutrientes neste ou naquilo alimento, no sentido físico-químico.

Prestem atenção: às vezes as coisas acontecem por aí, pela responsabilidade de um ou de muitos, para que vocês voltem a dar valor ao que realmente tem valor, em qualquer sentido, até neste, tão simples, tão cotidiano, quanto alimentar-se.

Mas a Senhora, sábia como é, delicada, falou do que possa alimentar a alma. E se eu pudesse reduzir a um só estado – nem é sentimento, mas é um estado – para mim, a alma se alimenta pela felicidade. E eu não gosto quando eu ouço, felicidade é um momento, é um instante – podemos estar sempre felizes. Eu não concordo com isso. Como não concordo que se aprende pela dor. Coisa nenhuma! Aprende-se pelo amor, aí sim, se não houve o aprendizado, vem a dor. Muitos podem estar pensando, estou sentindo dor e é física. Pode ser, sim. Às vezes, se perde a saúde por várias razões, como já dissemos aqui. Algumas delas são temas desta noite: o que você come? Do que você se nutre? E onde está a sua felicidade?

Afirmo, em qualquer circunstância, mesmos as mais difíceis, é possível preservar a felicidade. A felicidade não é o momento, é o estado de espirito. Ser feliz é reconhecer, pelo mínimo, se não, agradecer, por tudo mais que se tem.

Se eu não tenho isto ou aquilo, se eu acho que perdi isto ou aquilo, eu não perdi tudo. Eu tenho muito, sempre, mas é que as pessoas se deprimem, perdem o viço, a alegria, o bem estar por momentos. Por fases, por instantes que, de fato, não são de felicidade porque esquecem o processo de ser feliz.

Por mais dor que eu esteja sentindo, que maravilha, que presente, que alimento para a minha alma, se alguém toca em meu ombro e diz: eu estou aqui.  E vocês que procuram a evolução espiritual tem muitas mãos sobre seus ombros, além daquelas, daqueles que estão próximos de vocês. Portanto, reconheçam, eu não vou dizer, acreditem ou tenham fé – isto já vem sendo dito há muito tempo, e é um principio fundamental da vida: acreditar, ter consciência de que o individuo é várias dimensões. Pelo mínimo, três, para que vocês entendam.

Se lhes faltar a clareza da mente, usem o sentimento. Se o sentimento se esvaziar, por alguma coisa, uma grande decepção, uma grande dor, usem a mente. Limpem a mente. E se nada disso funcionar, pensem na parte espiritual. Aliás, não pensem nada. A parte espiritual não se pensa. A parte espiritual se incorpora, se vive.  Quando eu digo vive, é vive para sempre. Portanto, nutram-se daquilo que é bom, daquilo que lhes dá prazer. Muitos têm medo de sentir prazer em todos os sentidos: é nutrição. Procurem trazer para dentro conceitos perfeitos, palavras absolutas, sentimentos nobres. Se você proferir uma palavra mágica, ela ressoa por ai. Bate e volta.

Portanto, ser feliz é ser cônscio. Consciente absolutamente. Ser consciente exatamente disso, sentindo em torno (acho linda esta coisa do redondo, do círculo), tudo aquilo que lhe faz bem. Concordo que vocês não estão no nível de suportar tantas pressões, tantas provocações. Às vezes, vocês reagem e ainda bem que reagem porque senão estariam… Mas depois da reação voltem a sentir o que de fato vocês são e o que os outros, muito próximos neste círculo, são: as mãos que lhes são colocadas suavemente nos seus ombros. Sentiu a presença? Pois é, façam-se presentes. Isso é ser feliz.

E nesta noite, como foi dito pelo grande Cacique, especial, com tantas égides presentes, eu desejo de coração ainda mais felicidade para cada um de vocês. Que Deus nos ilumine a todos e mostre este caminho sempre.

PEDRA ALTA

Às vezes, as coisas vem no caminho para testar até onde vocês podem ir.

Posted in Arte de viver with tags , on março 24, 2017 by Helen Ians

O alimento mantém o corpo físico em pé. Tudo aquilo que vocês ingerem, a água, as comidas, o alimento em si do corpo físico, sem o qual o corpo físico não se sustenta.

Sem a fé, a alma de vocês não encontra forças, não encontra motivação para continuar seguindo. Uma coisa é acreditar em algo. E outra coisa é ter uma fé inabalável. Não precisa ser necessariamente em Deus porque cada um tem uma crença. Existem vários nomes, em cada religião se tem um nome para Deus. Para nós, não importa o nome de seu Deus, da sua força maior. O que importa é que vocês encontrem força para continuar trilhando o caminho que tem que ser trilhado por vocês mesmos. Então deixem de acreditar somente e pratiquem a fé.

É naquele momento que  problema é tão grande, tão grande, e a dor se torna imensurável, insuportável, que você vai descobrir se tem ou se não tem esta fé, se continua o seu caminho ou se para ali, esperando que os outros caminhem por vocês.

Às vezes, as coisas que vem no caminho de vocês são para testar, para ver até onde vocês podem ir.

Eu peço a cada um que não pare, que prossiga, que erga sua cabeça, respire fundo e vá à luta porque lá na frente a recompensa é certa, e aí sim a felicidade pode ser plena.

Reflitam sobre tudo que foi dito aqui hoje e tenham a certeza de que não estão sozinhos.

JURACI

Desapeguem-se do que não serve mais em sua vida, para que o novo possa vir.

Posted in Arte de viver with tags on março 20, 2017 by Helen Ians

No caminho dos irmãos, os desafios são grandes, às vezes os tropeços também são grandes mas chega um momento em que é preciso, é necessário que haja uma mudança de rumo em vossos caminhos. Assim como nas estações, como bem disse o irmão Pedra Alta, estas mudanças acontecem às vezes de uma forma suave e, outras vezes, de uma forma brusca. Seja de uma forma ou de outra, os irmãos resistem a toda e qualquer mudança.

Esta resistência em relação às mudanças, necessárias no caminho de vocês, gera um sofrimento, uma angustia, uma ansiedade. O que gostaria de pedir aos presentes é que estejam abertos a mudanças que tem que acontecer no caminho de vocês. Tentem ver o lado bom daquilo que está por vir. Às vezes é necessário abrir mão de algumas coisas para que outras chegem até vocês.

Novamente citando o que foi dito há alguns dias atrás: aquilo que cai da carroça é para deixar para trás. Desapeguem-se de algumas coisas para que as novas possam vir e abrir a mente de vocês para que outras coisas boas aconteçam, para que vocês possam evoluir, e encontrar novamente a feliciadade e  a paz. Novamente, depende de cada um de vós que o sonho se realize. Não apenas os sonhos ficam na mão de vocês porque não tem coragem de dar o passo, porque não querem deixar para trás aquilo que não lhes serve mais.

A mensagem para hoje é desapeguem-se daquilo que não serve mais na sua vida. Deixem para trás, respirem fundo, ergam a cabeça e sigam vosso caminho com determinação, com força e muita fé. Tenham todos uma boa semana e que Deus nosso Pai os abençoe e ilumine.

JURACI

O melhor de cada guerreiro.

Posted in Arte de viver with tags , , on março 12, 2017 by Helen Ians

pronto para a guerraQue os guerreiros sejam bem vindos à Casa de Luz! Neste momento toda a corrente fazendo limpeza nas casas dos guerreiros e em todos os lugares em que os guerreiros costumam caminhar, passar.

Cacique pede neste momento em que está sendo feita a limpeza, que vocês guerreiros também aproveitem este momento de paz, pois o Grande Espírito, como os guerreiros falam, o seu Deus presente, com fé, com esperança, com determinação, está esperando a cada um de vocês, guerreiros, mas esperando o melhor de cada guerreiro.

O melhor de cada guerreiro é quando o guerreiro está pronto para a guerra, está pronto para dar o passo, está pronto para se transformar, para evoluir no Caminho Sagrado do Grande Espírito.

Aproveitem este momento de limpeza dos grandes guerreiros aqui nesta Casa, para que vocês, guerreiros, também limpem o seu espírito, limpem suas mentes, e deem oportunidade para toda esta energia caminhar com você, guerreiro; com você, guerreira.

Muitos guerreiros que estão aqui, ou em busca de mensagem, ou em busca de cura, como os guerreiros já sabem, dos grandes xamãs aqui da Casa, é preciso que os irmãos deem o passo.

Quando Cacique fala deem o passo é que os guerreiros deem oportunidade para que todos estes guerreiros de luz, dentro de sua magia sagrada, curem a você, guerreiro, a você, guerreira. Para isto é preciso que vocês deem oportunidade a si mesmos, para que esta cura seja feita, para que esta mensagem seja ouvida, e que toda a magia sagrada tome conta de seu caminho, e limpe acima de tudo o caminho, para que os guerreiros caminhem em paz, tranquilos, no Caminho Sagrado.

Que os irmãos prestem atenção nas mensagens e comecem a dar o passo a partir de agora.

CACIQUE