ABERTURA

Posted in Uncategorized on junho 10, 2015 by Helen Ians

Que os guerreiros sejam bem vindos à Casa de Luz, que aproveitem este momento de limpeza para que limpem também as mentes, limpem o seu espírito, para que dêem oportunidade à toda energia aqui da Casa, fazendo com que os guerreiros consigam enxergar cada vez mais a luz, encontrando a sua paz verdadeira, junto com o Grande Espírito.

NUVEM VERMELHA

Palestras 08 junho 2015.

 

Todo dia há a chance de fazer alguma coisa pelo outro.

Posted in Arte de viver with tags on junho 10, 2015 by Helen Ians

balancçoBoa noite, meus filhos. Conceição só veio falar hoje que de novo o tesouro que vocês tem e não sabem. Só para lembrar, fique com o olho aberto com as coisas que acontecem, dia a dia, como vocês falam.

Às vezes, acontece uma coisa e os irmãos falam: eu poderia ter feito, eu poderia ter ajudado, só que já passou. Aí passa o tempo, passa o tempo, aparece de novo, e parece que os irmãos tem medo de ajudar ou porque fala o que os outros cão pensar de mim, ou acha que pode esperar mais um pouco. E aquilo fica batendo na cabeça, bate, bate e depois os irmãos não sabem, e ficam perdidos.

Quando os irmãos ficam perdidos, acham o desequilíbrio, acha que não consegue fazer, acha que não vai ter a chance de fazer nada e todo dia nosso Senhor Jesus Cristo dá a chance para vocês fazerem alguma coisa. Não joguem fora. Se você acha que ão está fazendo nada, só de mudar aqui dentro e de fazer o seu dia feliz para você mesmo e para quem está perto, os irmãos já fizeram. Lembram, Conceição ouviu há muito tempo isto nesta casa – ninguém tem tanta coisa que não pode receber alguma coisa de algum, e nem tem tão pouquinho que não pode dar. O bom dia, o boa noite, olhar nos olhos do irmão que se precisar esta ali, já ajuda muito a gente.

CONCEIÇÃO

Atenção aos que estão em torno: estado de alerta.

Posted in Arte de viver with tags , on junho 10, 2015 by Helen Ians

Eu vou e todos nós seremos, nesta lua, muito diretos, objetivos. A palavra “chance”, bem dita, é sorte. Não esta sorte, este conceito de sorte desvirtuado dos dias de hoje. É oportunidade, como foi bem dito. A palavra “chance” de cada dia, e ponto! Prestem muita atenção e resguardem-se por pelo menos cinco dias, apesar das fogueiras acesas, apesar de toda a força da corrente, apesar de toda a dignidade interna a vocarrowês, a cada um de vocês. A energia não está boa.

Aqueles que vão cair, aqueles que vão perder a guerra estão desesperados e vão tentar atacá-los. Bloqueiem, usem seus escudos, atirem suas flechas antes que elas sejam em vocês atiradas. Muitos, principalmente os que estão aqui presentes, estão agitados, nervosos e isto pode se somatizar – entendem o que é somatizar? Trazer para o físico aquilo que deveria ser, e neste momento não é, a energia boa. Se energia ruim, somatiza coisas assim. Tonturas? É típico desta civilização tonta – sensação de aperto , pressão no peito e coisas assim. Reajam e não aceitem esta invasão. Entenderam?

Como se resguardar? Prestar atenção àqueles que estão em torno, muito próximos de vocês. Não dirijam a eles aquilo que gostariam de dirigir aos que querem mas não conseguirão destruí-los. Fui claro? A guerra não é aqui, não é dentro da Casa, nem no pequeno grande círculo de seus amigos, parentes ou não. Cuidado com as provocações. Vocês não são tontos de não reagir, é necessário reagir, mas de forma a não gerar ainda mais conflito. Se é que é possível, haverá surpresas nestes próximos cinco dias. Cubram-se, protejam-se, da melhor forma possível, e que seja em nome de Deus, por um manto de luz. Lamentamos não poder ser otimistas mas esta é a realidade. Apesar das fogueiras, apesar de tudo que vem sendo construído para o bem.

Não fiquem por aí, principalmente eu me dirijo agora aos jovens. Espero que os médiuns estejam ouvindo, e estão. Não perambulem sem necessidade. O estado é de alerta e de guerra. Fui claro? Estamos todos juntos. E venceremos, como diz, sob o manto de luz. Que Deus nos abençoe a todos.

PEDRA ALTA

Estejam atentos aos sinais, às orientações, mas façam a parte de vocês.

Posted in Uncategorized with tags , on junho 10, 2015 by Helen Ians

correta atitudeMomento oportuno para que, mais do que nunca, os irmãos exercitem a sua fé. Aquela fé que tanto falamos aqui, inabalável, inatingível. Procurem ouvir com o coração. Procurem entrar em sintonia com Deus nosso Pai ou mesmo com a corrente.

Estejam atentos aos sinais, às orientações, e os irmãos podem ter certeza que estarão seguros e protegidos. Mas façam também a parte de vocês.

Deus deu a cada um aquilo que cada um poderia carregar. Então não temam.

O momento é, sim, de muita reflexão e, principalmente, um momento que vai exigir muita fé dos irmãos. Na dúvida, recorram ao silêncio e voltem-se para dentro de si e escutem o que seu coração diz. Mas tenham certeza, fiquem tranquilos e, como bem foi dito, todos aqui nesta Casa somos um só. Na certeza da justiça do nosso Grande Pai, eu desejo a todos uma boa semana e que Deus proteja a todos e a cada um dos irmãos.

JURACY

Vivam a sua vida. Não se contaminem por aquilo que por si só cai.

Posted in Arte de viver with tags , on junho 10, 2015 by Helen Ians

Indians-talkingDepois da grande guerra – assim como o barulho que fazia antes e parou agora pouco – os guerreiros pensavam, olhando para dentro de si, para perceberem o que acontecia com si mesmos.

Se o Grande Espírito deu oportunidade aos guerreiros de reencarnarem, e como humanos na Terra, é porque motivo tem. E este motivo começa pela oportunidade dos guerreiros evoluírem, transformarem a si mesmo. A mesma luz que os guerreiros colocam dentro de si é a luz que vão estar projetando em seu caminho. Um guerreiro que caminha de uma forma não certa, mas feliz, para os guerreiros entenderem, é questão de tempo para que este guerreiro caia.

Um guerreiro que caminha com equilíbrio na Terra e, Cacique fala, moralmente, na sua verdade, e se transformando lua a lua, dia a dia, com a fé do Grande Espírito, como muito bem falaram  – é isto que o Grande Espírito deseja de sua evolução. Por isso esta nova oportunidade de reencarnarem na Terra, de evoluírem cada vez mais. Onde o guerreiro é o finito e a alegria da Terra é que os guerreiros sintam o infinito.

Como diz o guerreiro Alce Negro, quando faz junção do finito com o infinito é quando os guerreiros estão equilibrados em uma harmonia, que conseguem caminhar na Terra sentindo a si mesmos. Sentindo toda a energia à sua volta, sabendo onde está colocando o pé e como diz o guerreiro Peão, colocando um escudo à sua volta, para que energia ruim não atrapalhe o seu caminho. Porque só existe uma forma das coisas acontecerem – são vocês mesmos que criam, plantam e a colheita, como é dito, é obrigatória. Se plantarem verdade, a colheita é verdade, se plantarem amor, a colheita é amor, se plantarem um caminho de transformação, é evolução que vão encontrar em seu caminho.

Como diz o guerreiro Peão aqui, aos guerreiros, quando os guerreiros conseguem antecipar certas coisas no caminho, o sofrimento não existe. Cacique reforça as palavras do guerreiro onde o antecipar é tomar certos cuidados para que, depois, os irmãos não caiam e sofram por um desvio de caminho.

Esta junção do finito com o infinito, que é o encontro daquilo que os guerreiros buscam na Terra, que é a alegria, a paz – sim, os guerreiros encontram! Só que é preciso olhar para dentro de si e perguntarem o que realmente importa para os guerreiros, o que realmente é verdade no seu caminho, dentro de si, para aquilo que os guerreiros querem para o seu caminho , para a sua vida, estando completo o infinito com o finito. Por isso é preciso certos cuidados ao caminharem, para que os guerreiros evoluam a sua visão longa da águia, o sentir, aqueles que estão à sua volta, para descobrirem o que realmente querem com o seu caminho.

Não adianta os guerreiros, como muitos às vezes querem, pular etapas. É preciso que os guerreiros caminhem da primeira até a segunda montanha, para buscar o ensinamento. E da segunda para a outra montanha, e está lá de novo o ensinamento. E em cada uma delas consegue ver a próxima, do topo da montanha.

Por isso Cacique fala a vocês, guerreiros , como já foi dito, por diversas vezes aqui na Casa de Luz, o cuidado que os guerreiros devem ter com aquilo que falam, o cuidado com as atitudes, o ter cuidado com si mesmo. Sim, vocês são guerreiros sagrados do Grande Espírito, mas é preciso que saibam disso, que olhem para dentro de si e dêem mais valor a si mesmos, quando Cacique fala de perceberem que são filhos do Grande Espírito, em transformação e evolução, e que realmente sabem o que querem na sua verdade.

Toda a corrente nossa, aldeia nossa em vida, após as guerras, fazia reunião dos guerreiros e cada guerreiro olhava para dentro de si e conversava com grande guerreiro xamã, com grande guerreiro cacique da aldeia, onde via o erro. Naquele momento da guerra, o momento do ataque, é um exercício que vocês, guerreiros, também deveriam fazer. Porque quando o guerreiro descobre o que acontece, é mais fácil para dar o passo, para querer transformar a si mesmo e ao seu caminho, para querer antecipar e consertar o caminho pela frente.

A noite é hojeQue alguns guerreiros ainda na frente do guerreiro xamã, quando o guerreiro xamã percebia que este guerreiro estava saindo do caminho, eram postos em volta dos guerreiros os xamãs da aldeia, e era mostrado a este guerreiro quantas coisas boas fez pela aldeia. Para que novamente este guerreiro tivesse consciência de quem era. Mas antes de lembrarem quem são, é preciso que olhem para dentro de si, eliminem os erros, aí, sim, já purificados, transformados, com boa vontade e com fé, se tem um longo caminho pela frente que é o de plantar tudo aquilo que deseja, dentro de sua verdade. Aí é certeza que vai estar plantando da forma certa para que as cosas aconteçam, para você, guerreiro, para você, guerreira, encontrarem aquilo que desejam tanto no seu caminho, que é a paz.

E a pergunta aos irmãos: onde os guerreiros se completam? com que os guerreiros se completam? o que traz paz aos guerreiros? Muitos não sabem. Muitos. Ou aqueles que sabem não estão conseguindo encontrar o caminho. Ou aqueles que sabem não anteciparam certas coisas e sofrem, como foi dito, com o próprio erro. Mas sempre existe um momento, novamente, de olhar para dentro de si e refletir e fazer a sua luta, a sua guerra, para aquilo que realmente vale a pena em seu caminho.

Não adianta: Grande Espírito luta com os guerreiros, mas o passo quem deve dar são vocês mesmos. Grande Espírito não vai chegar para cada um de vocês e dizer: agora é sua vez de fazer a guerra. Descubram o erro, se purifiquem, peçam ajuda ao Grande Espírito, tenham força, tenham fé em si mesmos, e lutem.

Sempre em uma vitória, onde aqueles guerreiros de guerra, todos que passaram em vida em Terra, e tiveram passagem de guerra, todos sem exceção, encontraram a vitória, sempre. Podem ter certeza de que passaram caminho não fácil, caminho de pedra, tiveram que ser lapidados – todos, com cicatrizes, mas alcançaram a vitória. Quando Cacique fala vitória é aquilo que desejavam, porque lutaram por aquilo que realmente queriam. Todos os guerreiros que vieram em Terra, tiveram sua época de guerra, pela situação da reencarnação, assim como aldeia nossa, assim como os guerreiros aqui na Casa de Luz, guerreiro Peão e os guerreiros, todos, encontramos sim a vitória mas em todas as guerras houve cicatrizes, mas os guerreiros venceram. Sim, nós vencemos.

Assim como vocês, também, hoje os guerreiros não tem guerra como Cacique tinha. A guerra era para defender a aldeia, para conquista, mas esta guerra era única pois se não tomasse cuidado, morria, desencarnava naquela guerra. E todas foram passadas porque, a cada guerra, os guerreiros se fortalecem. Por isso a importância de, ao terminar a guerra, se recolhe, olhe para dentro de si, esquece os acertos, lembre dos erros, se purifique, tenha fé e se prepare para a próxima guerra. A guerra daquilo que vai trazer alegria para o seu caminho. Sim, a vitória acontece para aqueles irmãos que lutam, aqueles guerreiros que acreditam em si mesmos, e Cacique fala da guerra tanto a guerra por si mesmo, quanto por aquilo que querem – cada guerreiro é único e sabe o que importa para si mesmo. Às vezes, aquilo que não é importante para um é para outro e isto é respeitado espiritualmente e tem que ser respeitado materialmente.

é isso guerreiroAssim como perguntado a um guerreiro: é só isso, guerreiro, que vai trazer a sua felicidade? Sim, é isso. Este é o seu compromisso e toda a corrente respeita. Pode ser a guerra da saúde, quando se tem uma doença. Se acreditarem que vão encontrar a cura, encontram a cura. Por isso muitos esquecem de trabalhar a energia, trabalhar esta magia, como diz o guerreiro Peão, trazendo esta magia de volta para o seu caminho. E podem ter certeza que tanto o Cacique como os guerreiros e seu exército aqui, em toda a guerra tinha uma magia. Ou o nosso ritual da guerra, ou do guerreiro do Grande Pássaro, mas tudo tinha a magia da guerra. Esta magia é que os guerreiros precisam trazer de volta dentro de si porque, se não os guerreiros são bombardeados, como os guerreiros falam aqui na Terra, por coisas que não dizem respeito aos guerreiros. Ou, quando a coisa é bem maior que os guerreiros – tem coisa contra que não adianta lutar, pois só vai acontecer um desgaste e o guerreiro não vai chegar a lugar nenhum. Isto Cacique fala quando os guerreiros não conseguem enxergar certas coisas em seu caminho.

Quando se equilibra o dia a dia dos guerreiros no material, quando os guerreiros tem o pé no chão e sentem a terra, e junto a magia – como guerra nossa e a dos guerreiros, mesma coisa – os guerreiros encontram a vitória.

Quando os guerreiros só ficam na matéria é porque a magia já foi embora e, desta forma, não existen novamente aquilo que alimentava o seu espírito para que as coisas novamente aconteçam. E isso geralmente acontece quando os guerreiros apenas estão caminhando na Terra sem sentirem a terra, e sem esta magia, é porque já foram bombardeados e muito, com histórias de guerreiros derrotados, com histórias daquilo que escutam, ou aquilo que os guerreiros olham na máquina (computador, como falam).

Quantos guerreiros que estão bem e começam a olhar aquela coisa, no computador, e é só coisa ruim, é só coisas que faz com que os guerreiros se desanimem. É isso que se quer, que vocês desanimem cada vez mais, para que os guerreiros controlem vocês de forma mais fácil.

Quando Cacique fala vocês, é de forma geral. Então, se puderem, façam o certo: não se contaminem pela sujeira, não se contaminem com aquilo que por si só cai. O guerreiro que respira este mundo é o que reflete o seu caminho – por isso a tristeza, por isso a decepção, por isso aquilo que põem no seu caminho esta energia ruim, que estão querendo que os guerreiros fiquem. Vivam o seu caminho, vivam a sua vida.

Podem ter certeza, guerreiros, que não vai ser de uma lua para outra que a situação vai mudar, que de uma lua para outra tudo vai se tornar diferente. Onde a primeira coisa que deve mudar, se os guerreiros forem inteligentes, é a cabeça de cada guerreiro. Enquanto não mudar a cabeça de cada um na Terra, não culpem quem está governando. Mudem primeiro a sua cabeça – tenham a sensatez daquilo que fazem, tenham a compreensão daquilo que fazem, e olhem para dentro de si e percebam se fazem certo.

Se estão errados, não por isso vão respirar sujeira. Só que povo também está errado. E Cacique poderia ficar aqui citando, na língua de vocês, vários exemplos onde estão errados. Muitos perderam o senso das coisas, vivem como se estivessem sozinhos na Terra. Não é desta forma que vão mudar para um lugar melhor, para um país melhor, porque vivem apenas para si. Se querem arrumar culpados, culpem a si mesmos, culpem, se purifiquem e aí peguem vários guerreiros, como era feito antes, e façam a guerra certa e que vençam.

o que desejaJá que os guerreiros não tem guerra aqui na Terra, vençam a si mesmos, onde os guerreiros caminham, estando mais preocupados em chamar a atenção, em levantar bandeiras erradas Cacique não vê evolução como um todo. Esta evolução não esperem, esperem sim a sua evolução que vai ser transformada como exemplo para o vizinho, para o outro, para o outro, para o outro. E se não tiverem ninguém para ser transformado ao seu lado, deixe estes guerreiros parados como estão, porque é certeza de que o sofrimento é deles. Continuem, não esperem. Continuem.

É preciso que os irmãos comecem a ser mais desprendidos com a vida, com as coisas, com as situações – que resolvam de uma forma coerente. Não se culpa o próximo se você também está errado. Querem fazer a coisa certa? Olhem para dentro de si, a mudança de cada um. Se derem bons exemplos, como se fala na Terra, a Terra muda.

Se aceitarem, da forma que aceitam certas coisas, é porque são coniventes, como diz o guerreiro Lobato, com tudo que acontece. Não importa se a maioria, ou a minoria, e tem exceção. Quando se quer mudar, muda. Quando se quer fazer a guerra, faz. Quando se quer dar o passo, dá o passo. O resto é conversa, o resto é para alimentar a vaidade, o ego daqueles que se perderam no caminho faz tempo.

Não se ganha a guerra com falatório, se ganha a guerra com atitude. Não se ganha a guerra, levantando a bandeira errada mas, sim, com atitude. Não se ganha a guerra para mostrar ao outro que consegue, que é forte, que muda. Mostre para si mesmo, mostre que é um guerreiro forte que, junto com outro guerreiro forte, vai formando uma grande corrente forte de guerreiros – como disseram na lua da semana passada, soldados do Grande Espírito. Mas para isso é preciso a boa vontade de cada guerreiro, para isso é preciso que parem como é visto todos os dias de alguém querendo provar para o outro, como disse o guerreiro Peão, de se mostrarem, só que se mostram da forma errada, por isso passam o que passam, por isso estão respirando tudo que acontece. Feliz daquele que, na hora da guerra, está pronto para a guerra. Como diz o guerreiro Lobato, perderam o senso, a moral e, aos poucos, a verdade.

Que vocês, guerreiros, que tem oportunidade de escutarem, de mudarem, de transformarem, façam a transformação, façam o certo. Quem sabe a próxima geração, da próxima, da próxima, tenham a força e tenham a moral de realmente, quando quiserem  interferir pelos erros cometidos, não comecem pela bandeira, comecem por si mesmos e façam o certo. Aí, sim, aí é o começo de guerreiros que estão vindo com força de guerra, com força de luta, onde o não aceitar certas coisas, o começo não é o egoísmo, o egocentrismo, é o não aceitar os seus erros. É a falta de bom senso na Terra – este é o começo.

Se alguns lugares, algumas aldeias, ou alguns outros lugares sem informação, sem estas coisas que os guerreiros tem e que só levam os guerreiros, muitos, a ficar com energia ruim, muitos que não tem acesso conseguem, tem o respeito, tem a moral, tem o bom senso e de uma forma simples, vivem felizes. Não é possível que os guerreiros aqui nesta Terra não consigam da mesma forma, com toda informação que tem, transformar esta informação e não como um poluente para colocar dentro de si. E, sim, sentir e perceber que você guerreiro não faz parte da sujeira, que você, guerreiro, pode ter a mudança dentro de si. Os próximos que estão vindo, dos próximos, é o que a corrente acredita.

Cacique agradece a cada um nesta Casa de Luz. Que os guerreiros tenham força no caminho, tenham fé no caminho, que mudem as suas atitudes, mudem a si mesmos, para que façam a sua guerra escolhida e que não achem e não procurem os culpados. Aqueles que fazem o erro, pagam, e é aqui mesmo. Que façam do seu caminho um caminho de luz, um caminho alegre, um caminho de paz.

Não esqueçam que não caminham sozinhos aqui na Terra. Lutem pela sua alegria e pelo que desejam em seu caminho.

Cacique agradece, aos médiuns da Casa, pela dedicação aos trabalhos, que tenham força no caminho, lutem, mudem, façam a sua guerra. Que os guerreiros vençam as energias, vençam os seus inimigos e não deixem se contaminar por aquilo que querem que os guerreiros fiquem.

NUVEM VERMELHA

ABERTURA

Posted in Uncategorized on junho 8, 2015 by Helen Ians

Sejam bem vindos à Casa de Luz e aproveitem este momento de limpeza para que também limpem as mentes para dar espaço para que os guerreiros coloquem realmente aquilo que é necessário, aquilo que vai estar trazendo motivação para os guerreiros na fé, na esperança, dentro de cada um.

NUVEM VERMELHA

Palestras 25 maio 2015 – Dia de Santa Sara

Quando a pessoa tem fé e acredita, o milagre acontece.

Posted in Conselhos with tags , on junho 8, 2015 by Helen Ians

PREGOSHoje eu vou contar uma história para vocês, por isso pedi aos médiuns para também escutarem. De onde eu venho, antes de vir para cá e preparar esta reunião, eu tive uma conversa com o Chefe e as pessoas que estão aqui hoje é porque era para estarem aqui nesta data. Como costumo falar, sempre, nada está fora do lugar, não tem nada errado com nada – aí vocês vão entender o que estou querendo dizer. Por isso sejam bem vindos à reunião e, nesta reunião especial, vocês são os que eram para estar aqui, são bem vindos à Casa nesta noite, em especial.

Eu começo a contar para vocês uma história de uma escrava do Egito – era escrava de José de Arimatéia, eu falo de muito tempo atrás, da época de Jesus. Acredito que esta história que vou contar que vai servir para vocês, escolhidos, que estão aqui nesta noite. Esta escrava foi emprestada para ficar em uma casa sagrada, onde nesta casa existia as três Marias, entre elas a Maria Madalena. Foi emprestada para fazer os afazeres da casa para ajudar naquilo que eles precisavam pois ela era muito eficiente no que fazia. Até porque, para quem não sabe, as Marias tomavam conta de Jesus e de seus apóstolos.

A escrava, ajudando, firmava cada vez mais a sua fé no Mestre, porque escutava. Firmava sua fé naquilo que era dito nas Suas pregações, no seu caminho. Os dias foram passando, passando, e a escrava cada vez mais aprendendo – maravilhada com aquilo que escutava, aquilo que via que Jesus fazia nas suas caminhadas, sua fé foi aumentando cada vez mais.

Eu vou dar uma pulada na história, para vocês entenderem que o que estou falando é aquilo que precisam, na lei dos guardiões. Chegou um tempo , já na crucificação de Jesus, em que os romanos precisavam de um ferreiro que fizesse os cravos para que Jesus fosse cruficado na Cruz. Por medo, nenhum dos ferreiros quis fazer os cravos. Nisso foram procurar um cigano chamado Cigano Jacó que era um bom ferreiro, sabia fazer as coisas. No começo, ele também disse que não iria fazer de jeito algum mas sua família foi ameaçada para que ele fizesse de qualquer jeito os cravos para o dia da crucificação. Ele ficou sem saída e não só fez os cravos como também presenciou tudo naquele dia do acontecido. Antes do acontecido, o Cigano Jacó se aproximou de Jesus, olhou no olho de Jesus e disse: Senhor, você me perdoa porque o meu povo não é contra aquilo que você faz e prega, pelo contrário. O meu povo já te admira e já escutou muitos feitos, você me perdoa porque o meu povo te estima muito. Jesus olhou bem no olho dele e disse: Meu filho fica em paz, fica tranquilo e não esquece da moça da água.

Houve o feito no tal dia, o corpo de Jesus ficou  exposto, após o que foi praticamente colocado no túmulo da família de José de Arimateia, para quem não sabe. Aí como todos já sabem um pouco da história que é dita, o corpo sumiu e José de Arimateia foi acusado e praticamente iria ser crucificado. Só que era um moço que já tinha feito muita coisa pelo povo, e um moço de posse, e os governantes resolveram, em vez de crucificar o tal moço, deram uma pena a ele de pegar uma barca, e dentro dela estaria José de Arimateia, seu escravo, as três Marias, dentre elas Maria Madalena, e a moça escrava. Todos dentro de uma barca, que foi lançada em alto mar, sem remo, sem alimentação, sem nada, para que morressem.

A embarcação já estava em alto mar, e todos tinham desistido porque viam que não havia saída – eu sempre falo que para tudo tem uma saída. A tal escrava começou a orar, dentre as suas orações pedindo a Jesus que se fosse merecebimento dela e deles todos, que fizesse que a embarcação fosse parar em algum lugar seguro e de preferência todos vivos. Que se o feito acontecesse,  ela seria a sua escrava, levaria as palavras de Jesus nas suas pregações para tudo que é canto e a seguir o caminho de Jesus.

Como sempre acontece, quando a pessoa tem fé e acredita, o milagre aconteceu,porque lá para eles era um milagre. O barco foi parar em um lugar seguro, no sul da França. Parou, os pescadores foram lá para ajudar quem estava na embarcação, praticamente os pescadores ajudaram a todos menos a escrava, não ajudaram a escrava pelo tom de pele dela, era do Egito, e a deixaram na praia, quieta, onde ela se encontrava sozinha, apenas lá ela e o céu. E os outros foram recolhidos pelos pescadores.

beachNão muito longe daquela praia, a moça escrava andou, caminhou como Jesus fazia, até que uma aldeia cigana encontrou a tal moça, onde a história já tinha sido espalhada naquela aldeia e por toda a região onde se encontravam todos os ciganos – da prosa que ele teve com Jesus no último dia de sua vida quando Ele disse: presta atenção na moça da água.

A moça foi acolhida pelos ciganos, o tempo foi passando, ela com suas previsões, sempre tinha uma palavra de fé e encorajamento para todos que a procuravam. Vinham ciganos de tudo que era lado para conversar com a tal escrava. O tempo foi passando, passando, passando, e ela com suas previsões, ajudava a todos da aldeia.

Ela ficou velha, com muita sabedoria, com muita energia, com muita fé e esperança em tudo que ela teve oportunidade na Terra de presenciar – todo o sofrimento, todos os milagres, que foram passados para todos por Jesus, onde para todo o povo cigano, Jesus era considerado o cigano mais forte de todos. Era considerado um cigano. E os ciganos, assim como todos estão aqui agora, o consideravam o Cigano Mestre, com suas previsões, com sua palavra, porque teve o mesmo sofrimento, era um andarilho, e levava sempre uma palavra de conforto e ajudava quem precisava.

A escrava ficou velha, já com uma idade avançada, ela não casou, não teve filhos, seguindo os passos, assim como prometido, e disse que todo este tempo em que ela ficasse pregando, estudando, ela usaria um lenço  – a representação simbólica mais forte desta cigana que ajudou a muitos. Ela acabou falecendo após alguns anos, foi enterrada em uma gruta chamada Gruta de Santa Sara. Para quem não sabe a Santa Sara é a padroeira, a mãe dos Ciganos. O dia em que existe uma peregrinação até a gruta de Santa Sara, comemorando no dia 24 no tempo de vocês (maio) e hoje dia 25, onde todos os ciganos do país inteiro fazem uma peregrinação, ou aqueles que estão longe da gruta, fazem o oferecimento com o lenço e uma flor vermelha. Até hoje é feita esta peregrinação onde todos caminham até lá, para fazer seus pedidos, principalmente as mulheres, e principalmente buscando o feito de engravidar. E os pedidos são realizados. Santa Sara! A padroeira dos ciganos que, com sua fé, com sua esperança, conseguiu mudar um caminho.

ciganas e santa saraAproveitando que a Casa está cheia do meu povo cigano, assim como faziam na peregrinação, e vocês peregrinaram até aqui, chegando em vossas casas, na 5ª feira, vocês vão pegar um pedaço de papel e fazer um pedido, escrevendo no papel, deixar uma flor vermelha com o papel embaixo, dobrado. Pode fazer um pedido cada um, e deixa lá para ser realizado. É o comprometimento com todos os que estão aqui nesta noite, que se dirigiram para cá por livre arbítrio de vocês, ou escolhidos por nós.  Podem ter certeza que foram escolhidos para estarem aqui nesta noite. O único conselho que eu dou: saibam pedir. Saibam pedir.

Que a Santa Luzia e a Santa Sara abençoem todo o povo cigano, a vocês que estão aqui nesta noite, abençoados pelo Mestre Maior, pelo cigano maior que houve na Terra, Jesus Cristo.

Eu posso falar a vocês conversando com alguns amigos em espírito: história, lenda ou realidade? O que eu posso passar para vocês que escutei de um guardião amigo que acompanhou a história de Jesus, é que a história chega perto do que foi contada. Aproveitem a oportunidade que o maior dos ciganos nesta noite dá para vocês, que é Jesus, em fazer um caminho certo, em ter a atitude certa, em encontrar dentro de vocês mesmos esta fé que a escrava, a Santa Sara, teve naquele barco, orando , pedindo o que desejava realmente, que queria, se fosse pelo merecimento dela. Quando o pedido é feito de coração, o caminho se abre, e se o caminho não se abre, pode ter certeza de que vai ter algum esinho ou de um lado ou de outro, abrindo o caminho de vocês.

Quando é dada a oportunidade e se joga fora por artitude ou alguma besteira, como todos sabem, a consequência é grande. Não tiramos o livre arbítrio de vocês mas nós ajeitamos o caminho de cada um. Aquilo que estão por passar pode ser tirado, pode ser amenizado, aí depende de como vocês estão tratando a vocês mesmos, o que vocês estão fazendo no caminho de vocês, eu falo no sentido de como estão se tratando. Porque pedir uma coisa e fazer outra, limpar o caminho e vocês sujarem o caminho, está errado. Aí do que adianta a gente limpar o caminho de um e de outro e vocês não aproveitarem? Do que adianta interceder por certas coisas se às vezes não existe o certo da parte de vocês? Aí não adianta anda. Mas o nosso trabalho é duro, o nosso trabalho é acreditar que as coisas podem mudar, se a fé que determina um caminho for executada, aquele caminho livre, de boa conduta, de bom pedido, como é falado, vai ser realizado. Agora, quando tem um longo caminho pela frente, o caminho está sendo um e vocês não conseguem escutar vocês mesmos, pode ter certeza de que, quando é posto, no caminho de vocês, certas coisas e vocês não aproveitam, a lei cobra. É onde existe o sofrimento, é onde existe o passar por certas coisas que acontecem porque criaram todo um caminho que foi limpo pelos guardiões. Todo o caminho foi manchado porque não se teve a boa vontade de perceber onde estavam pisando.

Aproveitem a oportunidade dada, façam o pedido de vocês, tenham fé assim como a Santa Sara, única que teve fé naquela embarcação, e foi salva.Que assim seja.

PEÃO

(Peão convoca a cada uma das entidades que voltem ao aparelho e se dirige à médium que faz as psicografias):

irmã Viviane, se concentra, a mão vai esquentar, a mão vai deslizar, o cigano Jacó está atrás de você e você vai deixar uma mensagem através dele. Se concentre, deixe a mão deslizar no papel e que a Santa Luzia te abençoe.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 37 outros seguidores