Archive for the Obstáculos Category

O caminho e os obstáculos

Posted in Obstáculos, Uncategorized with tags , , on maio 1, 2017 by Helen Ians

o navio as aguas e a luz

Ao caminhar, muitas vezes não encontramos a saída porque estamos focando o nosso olhar nos obstáculos. Deixemos que a Luz nos guie, levantando e direcionando nosso olhar para frente, onde deixamos que nossos olhos encontrem a alma em nosso caminho. Se fecharmos os olhos, sentiremos apenas o nosso coração, e é nele que a alma habita.

Um guerreiro se lança ao mar, somente quando respeita o suficiente para navegar em suas águas. Na vida, só devemos nos lançar para aquilo que nos fará crescer, porém respeitar os obstáculos é fundamental.

Psicografia Viviane

NUVEM VERMELHA
Como bem disse a guerreira, falou da luz sagrada, do contato com o sagrado, onde os guerreiros devem lutar e que não desistam daquilo que buscam. Que o Grande Espírito abençoe a todos.

Deixe o Grande Espírito levar o que está atormentando. Busque outro caminho.

Posted in Energia, Obstáculos with tags , , , on agosto 12, 2013 by Helen Ians

riverAs energias trabalham a favor ou contra os guerreiros aqui na Terra – mesmo àqueles que buscam e procuram a paz, a harmonia no Caminho Sagrado. Cacique se lembra dos dois pequenos próximos ao rio sagrado. Quando passavam ao lado do rio, vêem de longe vêem três casacos azuis vindo na sua direção. Naquele momento estavam os dois pequenos, sozinhos, perto da água sagrada, e os três casacos azuis se aproximam, armado. Pedem para que os guerreiros deixem o cachorro grande, cavalo na língua de vocês, e fiquem no chão.

Um dos casacos azuis desce – os outros dois ficam em cima dos cavalos – e vai de encontro a um dos guerreiros e pergunta ao guerreiro pequeno (com seus treze, quatorze anos), depois de bater um pouco nos guerreiros: Por que você está com muita coisa pendurada, qual a diferença de você com o outro? O menino sagrado diz: Eu sou pequeno xamã da tribo. Ele, guerreiro. Sou xamã.

Depois de casaco azul olhar para os dois outros casacos e darem risada, ele diz: Onde já se viu xamã pequeno, está tendo visão de quê? O pequeno diz: Esta energia que você está colocando agora não é boa. Grande Espírito não aceita o que você está fazendo. Caminho errado e lá para frente a energia volta para dar lição. Nisto, o casaco azul rindo, olhou os outros dois: Estão vendo o que ele está falando? Vamos esperar a tal energia da magia fazer volta, já que o xamã deve saber o que está falando.

Riram da cara do pequeno e montaram os cavalos, indo embora. Os dois pequenos voltaram para a tribo. Grande guerreiro xamã da tribo passa energia para os guerreiros – de força, de cura – pelos machucados.

Muitas luas se passaram quando, numa situação parecida. Os pequenos já grandes guerreiros, com muitos guerreiros à sua volta, mais de cem guerreiros, fazem emboscada a alguns casacos azuis e prendem todos, levando-os a um determinado lugar. No caminho de levar, o guerreiro sagrado começa a olhar para um dos guerreiros presos, e tem lembrança lá para trás, quando era novo, do que foi feito, e no caminho diz: Você, casaco azul, lembra-se de mim? O casaco azul diz que não lembra. Quando mais novo, eu e grande guerreiro no rio, você maltratou nós, pequenos. Eu lembro você. Lembro pelo olho. Não tinha como Casaco azul falar não era. Calou, ficou quieto, e guerreiro pequeno disse: Lá para trás, foi dada a você casaco azul a oportunidade de apenas dividir rio com nós. Você, já adulto e nós, pequenos. Grande Espírito viu o que fez – não está certo. Hoje eu cresci e me tornei não só o xamã mas também um grande guerreiro. E você hoje está preso. Guerreiro comigo que estava, aquele guerreiro, quando disse a você ‘a energia vai fazer volta’ era porque o que estava fazendo não estava certo. Você vai encontrar a energia lá para frente. Espírito vai amaldiçoar você, guerreiro. Não está certo fazer o que faz. E parece que é o que está acontecendo guerreiro. O guerreiro casaco azul, preso, mão amarrada, foi amaldiçoado pelo Grande Espírito. Eu disse a você: energia ia fazer volta.

Na lua do dia seguinte, o pequeno que já virara grande guerreiro, vai falar com Cacique e diz: Eu sei todos que casaco azul fez mal. Vai para determinado lugar. Mas um deles, o espírito tem que fazer calma, tem que acalmar. E a forma que o Grande Espírito vai ver para fazer a calma é libertando ele. Esta vai ser a lição, se o grande guerreiro permitir.

Grande chefe da tribo permitiu que este guerreiro fosse solto e que voltasse ao forte, à base. Passadas algumas luas, este guerreiro volta com outros guerreiros de casaco azul, para fazer aproximação com os guerreiros, com a aldeia, para que não tivesse mais guerra e que os guerreiros fossem, alguns que ainda restavam, libertados.

Assim foi feito, e assim seguiu cada guerreiro um caminho – tanto o guerreiro pequeno, que se tornou um grande guerreiro de guerra, protegido pelo Grande Espírito, e o guerreiro casaco azul que conseguiu acalmar o seu espírito porque percebeu, conseguiu entender o mal que fez, não como ação da mesma forma, mas contrária, como diz o guerreiro Lobato. Como o Cacique já contou aos guerreiros, com a instalação do forte, também a aldeia nossa não teve mais guerra próxima.

Cacique lembra esta história porque quantos guerreiros aqui trabalham também a sua energia só que de uma forma errada. Como já foi dito aqui, continua alimentando esta energia contrária e não consegue depois sair – ou aqueles que conseguem sentir, entender, o seu próprio caminho como a si mesmo e entendem esta energia contrária, direta, mostra o caminho só que de outra forma. Não da forma que casaco azul pensou que fosse. No momento casaco azul pensou: vai matar, não tenho chance.

Cacique fala em energia dos guerreiros da mesma forma hoje aqui na Casa de Luz: todos os guerreiros tranqüilos, alguns preocupados na mente e no espírito, mas que deixam levarem preocupação, deixa que Grande Espírito leva aquilo que está atormentando o caminho. Isto não é do guerreiro, não é da guerreira. É energia contrária que pode fazer volta de outra forma, por isso deixa ir embora.

Quantos às vezes ficam tristes, como vocês falam, amargurados, com certas situações: não é para afrontar, como os guerreiros falam, como o guerreiro Lobato fala, fazer guerra, fazer luta com a energia. Com a energia não se luta. Com a sua mente não se luta, não faz guerra. É o entendimento, é o sentir e o mostrar a direção para esta energia ruim ir embora. A energia não segue os guerreiros no caminho. A energia vai seguir um caminho, é o guerreiro que vai buscar outro.

Quando os guerreiros se derem conta, energia ruim foi embora. É a forma certa de mostrarem o caminho para aquilo que atrapalha. Aí os guerreiros perguntam: Mas será que até isso – à energia ruim é preciso mostrar o caminho? Sim.

Quando Cacique fala mostrar caminho, Cacique fala em mostrar o respeito para qualquer tipo de energia que vá acompanhar os guerreiros. Quando os guerreiros colocam em mente: Chega! Energia ruim segue o caminho que eu preciso seguir o meu. Agradeço pelo ensinamento, agradeço por ter acompanhado, mas segue o seu caminho. Os guerreiros vão perceber o quanto a palavra do guerreiro tem força. Vão perceber o quanto são fortes. Por isso não se luta com a mente, a mente é entendimento e o espírito que está inquieto dá direção para ele. Segue rumo que eu preciso seguir o meu. Esta é a mensagem aos guerreiros aqui na Casa de Luz. Não existe o momento certo para que os guerreiros encontrem a paz plena da forma que acham, na língua de vocês guerreiros (na nossa não tem “acho”) da forma certa. Apenas se os guerreiros colocarem em mente saber fazer trabalho, saber trabalhar com estas duas energias – energia da mente energia do seu espírito – os guerreiros vão equilibrar, uma sentindo e a outra mostrando direção. Uma não luta, entende. E Cacique fala o porquê disso: porque a mente pode trair os guerreiros. O seu espírito não trai, mas pode ficar inquieto. Pode estar calmo ou pode estar com o espírito de guerra. Tanto um como o outro bom, mas é preciso saber que quando a energia do espírito está inquieta, a visão fica curta e as coisas não caminham.

Faça a oração neste momento. Faça o seu encontro assim como os dois pequenos na lua do rio sagrado, os dois pequenos próximos, foram fazer o seu encontro. Estavam plenos de paz quando os casacos azuis chegaram para colocar outra energia, por isso o pequeno xamã disse: Grande Espírito está vendo e esta energia volta para você guerreiro lá para frente.

E fez a volta só que de outra forma. Na cabeça do pequeno xamã, o casaco azul representou não a mente, mas sim o espírito. Por isso deu uma direção. Um precisa ir – ele precisa ir. Deixa ir embora. E esta energia volta, fez a volta. Quando voltou com os casacos azuis para fazer acordo, pelo ato de uma energia. Vocês são energia. Precisam aprender a trabalhar esta energia a favor de vocês. Não são máquinas como querem que se transformem, com tanta máquina hoje em dia. Não são. São espíritos que tem alma, que sentem.

É o pedido da corrente aos guerreiros que trabalhem e que se tratem como espíritos de alma, e não como máquinas. Que os guerreiros lembrem-se de todas as mensagens aqui deixadas, lembrem da mensagem do pequeno ao guerreiro que teve a sua volta em paz, assim como esta energia ruim transformada em uma direção, ela volta a você, guerreiro, a você, guerreira, de outra forma.

Volta com a gratidão, volta de uma forma pura para poder ajudar e dar a direção aos guerreiros. Cacique agradece a todos aqui na Casa de Luz, que os guerreiros tenham boas luas pela frente, não esqueçam nunca que são guerreiros de espírito, de alma, que os guerreiros trabalhem aquilo que o Grande Espírito deixou aos guerreiros de mais forte, onde muitos hoje em dia esquecem: são espíritos caminhando aqui na Terra. São protegidos pelo Grande Espírito, pelo Grande Manitu e que os guerreiros lembrem que tem a força de um grande guerreiro e, sim, podem fazer a diferença sempre, caminhando aqui na Terra. Que o Grande Espírito abençoe a todos.

Cacique agradece aos médiuns pela energia doada aqui na Casa de Luz, aos guias espirituais que se apresentam aqui na Casa da mesma forma, a todas as correntes que se aproximam em forma de ajuda. Que o Grande espírito abençoe a todos.

Nuvem Vermelha

Por que me vem isso agora, neste momento?

Posted in Ensinamentos, Obstáculos, Visão with tags , , , on maio 16, 2013 by Helen Ians

circulo da vidaNem sempre os guerreiros aceitam as mudanças como algo que vai transformar a vida dos guerreiros. Nas mudanças, principalmente quando se encerra um ciclo, muitas vezes o primeiro pensamento que vem é: “porque isso, agora neste momento?” O Grande Manitu diz que os momentos nem sempre são quando os guerreiros se preparam porque, às vezes, é essencial, nas suas vidas, que os caminhos sejam “encerrados” (Joana não gosta de falar isto, porque não existe isto, quando se tem constante aprendizado – assim como nós da tribo dizíamos, que o nosso caminho são as fases da lua.)

É preciso saber prestar atenção nas mudanças destas fases e tirar de cada fase algo para que, quando chegar novamente, os guerreiros não se entristeçam, não se assustem, e passem a compreender que as mudanças vão estar sempre favorecendo os guerreiros.

Aí os guerreiros dizem na sua mente: “Como a mudança da perda dos meus “bem querer” pode favorecer? Como a mudança de um trabalho, onde eu tinha um ganho razoável e passo a ter outro, inferior, possa me favorecer?”

E assim vão as perguntas, sempre vistas e olhadas nem sempre como vitórias, mas enxergadas pelos guerreiros como se fossem uma derrota. E não é assim que o Grande Manitu apresenta a vocês.

As mudanças – inclusive as vindas daqueles entes queridos que fazem a sua jornada e que passam para um novo caminho – talvez não sejam bem encaradas por aqueles que aqui ficaram, mas para aquele que seguiu este novo ciclo, este novo passo, para ele vai ser algo bem quisto. Ele cumpriu sua missão, sua tarefa e está tendo a oportunidade de fazer outro caminho.

E para aqueles que ficam, há a oportunidade também de saber lidar, não com a perda – porque nada se perde – mas com a distância. De saber valorizar os segundos e o tempo aqui dentro deste ciclo de vocês, e transformando aquilo que muitas vezes no seu caminho que vocês enxergavam como um obstáculo como algo não superado, para saber que quem passou por aquele trajeto lá atrás, da perda, da tristeza, consegue fazer um caminho sólido, se fortificando, e sabendo que estas fases fazem parte daquilo que o Grande manitu nos oferece.

E Ele não oferece a seu filho, como muitas vezes já disse o Pai, aquilo que não consegue suportar. Os guerreiros vão estar sempre amadurecendo, encontrando no que está à sua volta um novo sentido, e aprendendo a desenvolver uma visão longa – não a meia visão daquilo somente que está muito próximo.

Joana deixa estas palavras hoje, nesta noite, para que os guerreiros possam valorizar tudo que está ao seu alcance, em vez de seguir maldizendo, reclamando. Passe a observar com bons olhos, passe a entender o que está hoje à sua frente e qual a lição que os guerreiros têm a tirar disto. Não saiam somente deste caminho, deste círculo, como entraram. Entraram pequenos, desnudos, mas que, sim, possam sair revestidos de boas ações, revestidos e transformados não como o mestre, mas, sim, como a sua semelhança. Porque aí, sim, os guerreiros serão guerreiros vitoriosos. Aí, sim, os guerreiros vão poder levantar a bandeira da honra e glória do Meu Pai. Que o Grande Manitu abençoe a todos.

Guerreira Joana

Muitas vezes o que chamam de problema é a oportunidade de renovar o caminho

Posted in Arte de viver, Ensinamentos, Obstáculos with tags , on março 29, 2013 by Helen Ians

mato altoCerta vez um jovem caçador havia entrado no meio da mata, montou sua barraca e, no campo em que ele montou, o mato estava alto. Ele disse: este mato vai ser um problema para mim, pois não vou ter visão dos animais para caçar.

Todos os dias, durante a manhã, fazia corte de mato que dizia ser o seu problema. Mas, na lua seguinte, mato alto novamente. Fazia, então, novo corte. Durante muitas luas, esta história se repetiu, mas nenhum animal apareceu, mesmo fazendo corte. Certa vez deixou mato alto, deixou crescer o que ele chamava de problema. Nisso apareceram cavalos para comer e outros bichos. Percebeu que ele tinha uma fonte de renda ali – comida para animal.

Começou a fazer corte e ia ao vilarejo mais próximo fazer venda. E conseguia se alimentar.

Assim é o caminho dos guerreiros. Muitas vezes o que chamam de problema é o que faz o guerreiro regressar ao seu caminho, e avançar. Muitas vezes o que chamam de problema é a oportunidade de renovar o caminho. E Guerreira Luz Forte está dizendo para, amanhã, quando os guerreiros acordarem, olharem no horizonte. Não terá sol, mas haverá luz – nem que esta luz tenha que irradiar de dentro de cada guerreiro. Que o Grande Espírito abençoe todos os guerreiros.

CHALEIRA PRETA

Cacique Nuvem Vermelha

Que os guerreiros reflitam sobre a história deixada pelo grande guerreiro, da mesma forma. Os guerreiros já estão percebendo, na língua de vocês aqui na Terra, que a corrente está fazendo um rodízio das mensagens, pelo tempo e por ter muito tratamento a ser feito. Cacique agradece a atenção de todos. Que os guerreiros tenham boas lutas pela frente, que os irmãos a cada lua se transformem, mudem. Que os guerreiros se encontrem cada vez mais a si mesmos e que busquem dentro de si mesmos, a transformação. Que o Grande Espírito abençoe a todos.

É necessário não só pedir, mas também fazer parte de se ajudar.

Posted in Conselhos, Ensinamentos, Objetivos, Obstáculos with tags , , , on março 24, 2013 by Helen Ians

changeFoi feito um acordo com o Grande Espírito. Você pede ajuda, e eu te ajudarei. Mas é necessário não só pedir, mas também fazer parte de se ajudar. Não é somente ser ou não merecedor, mas, sim, colocar aqui o que se busca, em prática.

Quantas vezes, se pede o remédio e se esquece de tomar.

Quantas vezes, o que aqui é deixado em forma de mensagens para que os guerreiros possam vigiar os seus comportamentos – e agem assim um dia, dois, três e depois voltam a fazer aquilo que, não os guerreiros apontam a vocês, mas aquilo que a vossa consciência cobra dos guerreiros.

E aí os guerreiros voltam, e muitas vezes falam que não está surtindo efeito o que está sendo dito. Porque os guerreiros vão, como diz aqui nesta Terra, deixando para amanhã, e para amanhã, e não se preocupam em querer ser diferente. Não se preocupam em querer agir com diferença. E muitas vezes escuta-se, se quiser aceitar, é assim que eu sou – e desse jeito eu não vou mudar.

Joana deixa a vocês: quando jovem, os guerreiros tem estômago de avestruz, pode desfrutar de tudo. E pouca coisa se faz retardar, fazer mal. Mas se os guerreiros observarem, hoje, os processos são muito rápidos e quanto mais o abuso das coisas que não fazem bem, reflete na saúde dos guerreiros.

Quantos jovens, cuidando da gordura no organismo, porque já nascem e já se acostumam a fazer uma alimentação errada…  Agora, imaginem guerreiros em uma certa idade – e quando eu digo, não me refiro somente na parte física, mas no comportamento, de atitudes que ainda assim escutam, tem consciência e ainda permanecem agindo errado.

Aí eu pergunto: a espiritualidade não está ajudando? Está! A espiritualidade está aqui, alertando os guerreiros, deixando a vocês mensagens para que possam refletir, quando em consultas, para que os guerreiros não tenham dificuldade de entender e de sentir que o que está falando não é para um mas é para todos.

Se esta palavra não se encaixa para você, pode se encaixar lá na frente, pode servir em outra situação. Porque não existem os guerreiros aqui, debaixo deste céu, guerreiros perfeitos, mas, sim, guerreiros que buscam serem lapidados, serem melhorados. Às vezes, o que é dificultoso para um, o outro tem a facilidade de captar, entender, e qual é a lição dele se não ter a paciência com aqueles que não conseguem ter a mesma facilidade?

Aí os guerreiros, no seu silencio, perguntam: Ah! Então eu tenho que ter paciência e me prejudicar porque o outro não conseguiu fazer os passos, entender o que eu já entendi? Ensina. Mas não ensina aos berros e aos gritos porque quando aqui é deixado a vocês, não é aos berros e aos gritos, e sim deixado de uma forma amorosa.

Como, aqui, o Grande Chefe, ao acompanhar cada guerreiro que aqui adentram – pode ver a casa de cada guerreiro, cada canto por onde o guerreiro passou… E o que viu daquilo que não se encontra dentro dos princípios, que não se encaixa dentro dos caminhos do guerreiro, não foi aos gritos, mas, sim, dando a opção para que aqueles que assim desejarem ir para a tribo aprender, escutar, e para aquele que não tem condição, que fosse seguida a escolha dele.

Mas em nenhum momento foram ditas palavras com indicador apontando aquilo que o outro não consegue enxergar.

E Joana deixa a vocês, guerreiros, para que possam refletir e fazerem a sua escolha, fazerem os seus alicerces. Realmente os guerreiros n ao devem ser prejudicados por conta da energia do outro, mas não façam isso aos gritos, misturando a sua paz com a energia agressiva do guerreiro, como assim foi dito recentemente pelo grande guerreiro Peão: Às vezes o silêncio é o maior escudo de uma guerreira, o silêncio é a maior estratégia para se ganhar uma guerra. Que o Grande Manitu abençoe a todos.

JOANA

Mensagem de Cacique Nuvem Vermelha:

Cacique espera que os guerreiros reflitam sobre a mensagem deixada pela grande guerreira. Enraízem tudo que foi dito e coloquem em seu caminho.

Sua essência vem de sua alma e nela estão contidos os mistérios de um caminho.

Posted in Caminho Sagrado, Obstáculos with tags , , on março 23, 2013 by Helen Ians

misterios de um caminhoConceição estava escutando, escutando, olhando… só vou falar uma coisa pequena. Pior do que ficar preso, é ser livre por fora e preso dentro de você mesmo. Ficar com medo não vai deixar fazer nada. Porque acha que não consegue, então nem sai de casa. Porque acha que é mais fácil ficar falando dos outros do que parar na frente do espelho e se olhar.

Muitos têm espelho em casa mas não conseguem enxergar a própria imagem. Não conseguem enxergar quem é. Quando é para olhar para dentro e se ver, fica preso. Não tem corrente pior que esta.

Aproveitem que estão aqui, aprendendo, ouvindo: cheguem em casa, olhem para o espelho e vejam se consegue enxergarem um pouquinho por dia, o que você é por dentro.

Esta velha está sempre perto dos irmãos, quer muito bem a todo mundo e, sempre que precisar, Conceição é muito agradecida e fica muito feliz por fazer parte de uma corrente que luta para os irmãos crescerem e serem felizes.

CONCEIÇÃO

Nuvem Vermelha:

Da mesma forma, aqueles que não conseguiram escutar, pelo barulho, saibam que a transformação de cada guerreiro na Terra começa, como toda a corrente fala, como bem disse a guerreira, dentro de si.

Se os guerreiros querem realmente encontrar a transformação, o caminho da harmonia, o primeiro passo é olharem para dentro de si e buscarem a luz dentro de si. Muitos querem fazer o caminho contrário, buscando a luz fora, outro caminho.

Enquanto os guerreiros não olharem para dentro de si, e perceberem aquilo que realmente falta e pode ser posto dentro de si, à sua volta, num caminho realmente sagrado – o bom caminho da estrada vermelha que é o começo do crescimento , é a oportunidade que o Grande Espírito está dando ao guerreiro e à guerreira de evoluírem, e como bem disse o guerreiro Pedra Alta, perguntarem a si mesmos quem são.

Enquanto não conseguirem achar a si mesmos, enquanto não colocarem a sua verdade aparente em um caminho, não aquela que esconde, aquela oculta, e, sim, aquela que realmente traz a essência do guerreiro, como diz o guerreiro Lobato , à Terra. Esta essência vem seu espírito, da sua alma, e é nela que estão contidos, como diz Chaleira Preta, os mistérios de um caminho. Este é o verdadeiro caminho sagrado de um Grande Espírito. Que também os guerreiros reflitam sobre aquilo que foi deixado nesta noite, que os irmãos caminhem leves, tranquilos , em paz, lutando por aquilo que desejam, por aquilo que buscam, acreditando neste caminho maior do Grande Espírito, se aproximando de si mesmo, e buscando sempre a sua paz e a sua alegria. Que o Grande Espírito Espírito abençoe a todos.

A todos os guerreiros, que acreditem no Caminho Sagrado, acreditem em si mesmos e que o Grande Espírito abençoe a todos.

Problemas, desafios, tristezas, todos tem. A diferença é a ação de cada um para passar por isso.

Posted in Arte de viver, Conselhos, Obstáculos with tags , , , on fevereiro 14, 2013 by Helen Ians

PrayerSó relembrando rapidamente o que disse irmã Conceição: problemas, desafios, tristezas, pedras pelo caminho, todos que estão aqui neste plano terreno, possuem e encontram pelo caminho. A única coisa que faz toda a diferença de um irmão para o outro, é como vocês enxergam esta pedra, este problema, este desafio, esta tristeza. O que cada um dos irmãos faz para passar por estes obstáculos.

E relembrando, ainda, hoje, o que o irmão Pedra Alta disse aqui, desta felicidade, desta energia. Os irmãos não têm noção do que aconteceu neste pequeno espaço aqui, hoje, e que nós todos, da corrente, vimos – foi a transformação daquilo que é triste, daquilo que é pesado, a transformação disto tudo em oportunidade, em recomeço, em uma nova tentativa em busca da felicidade.

Então, mais uma vez agradeço em nome de toda a corrente. Ficamos felizes quando recebemos os irmãos com a mente mais aberta, o coração mais aberto, e mais do que tudo isso, gostamos de ver os irmãos fortalecidos na fé, em Deus nosso Grande Pai. Os irmãos sabem e nunca, em momento algum, devem esquecer isso – tudo acontece por uma razão e por um motivo. Por mais absurdo, desastroso, ou estranho que pareça para os irmãos, para tudo que acontece na Terra existe um propósito no Céu.

É neste clima de felicidade, de agradecimento, que eu clamo ao céu e a Deus, nosso grande Pai, que multiplique todas estas sementes que são os irmãos aqui. Estas sementes do bem, estas sementes de esperança, de amor, de fé, de caridade. Que sejam multiplicadas! Que Deus abençoe a todos e que possam a partir deste momento, conhecer a verdadeira felicidade.

Juraci