Arquivo para prática da caridade

Se sufocados, injustiçados, o melhor remédio é o recolhimento e a oração.

Posted in Caridade with tags on janeiro 5, 2015 by Helen Ians

Gostaria de lembrar aos irmãos, na noite de hoje, da importância da prática da caridade de uma forma plena. Fazendo somente, dizendo apenas uma frase: o que você não deseja, irmão, para sua vida terrena, você também não deve fazer para o seu próximo. Como dito aqui, várias e várias vezes, o preconceito, o pré-julgamento, atitudes veladas, às vezes expressas apenas no pensamento, já são suficientes para prejudicar não só o teu próximo mas a ti mesmo. Portanto, queridos irmãos, antes de proferir a palavra, lembrem-se que vocês tem outros dons, da visão, da audição, do raciocínio. E por que não colocar nesta lista, o poder da oração?

Quando sentirdes sufocados, injustiçados, o melhor remédio é o recolhimento e a oração. E mais uma vez digo: a resposta para a sua dúvida, muitas vezes, vocês já a tem e não conseguem vislumbrar, ouvir, discernir, pelo desequilíbrio. Portanto, a palavra de hoje é a caridade para o teu próximo e para ti mesmo.

ANA NERI

Anúncios

Mudar atitude no meu próximo amanhecer.

Posted in Ajuda espiritual, Conselhos, Ensinamentos with tags , , on março 9, 2010 by Helen Ians

Não importa o tamanho do seu ato caridoso. Não importa a quantidade de bens materiais que você pôs de lado para doar aos outros. O que importa, o que vale, o que pesa na balança, é o tamanho da sua ação, da sua atitude, do seu querer de coração ajudar a seu próximo.

Tanto vale um gesto de estender a mão quanto vale o gesto de dizer ao seu próximo que você está perto. Como mensurar um abraço? Não pense que, aos olhos do Grande Pai, a quantidade vale alguma coisa, muito menos que a qualidade, a benfeitoria do vosso coração. Fazer a caridade vai muito além do que este gesto.

A prática da caridade está no seu pensamento diário, no seu cotidiano, no emprego da vossa energia, nas palavras que saem da vossa boca, nos pensamentos e naquelas palavras que as vezes não saem. Pensem o que vocês querem colocar dentro da balança. Pensem se este treinaemtno está sendo realizado ou é apenas um ensaio dele. Pensem: “como posso mudar de atitude no meu próximo amanhecer?

Ana Neri