Arquivo para maio, 2017

Abertura

Posted in Uncategorized on maio 15, 2017 by Helen Ians
8maio2017

Neste momento em que a limpeza é feita tanto aqui quanto na casa dos guerreiros, no trabalho, por onde os guerreiros caminham, em energia.

A limpeza é feita, para que os irmãos caminhem mais tranquilos durante a semana se transformando lua a lua, dia a dia.

Aproveitem neste momento toda esta limpeza, em paz, para que saiam daqui da Casa de Luz com mais energia, mais força, e coloquem em prática tudo aquilo que é ensinado, que é dito, para que caminhem na evolução, caminhem na transformação do Grande Espírito.

Sejam bem vindos à Casa deLuz.

Que os guerreiros aproveitem todas as mensagens deixadas aqui e toda a magia da Casa.

NUVEM VERMELHA

 

Não existe amor mais puro do que o amor de mãe.

Posted in amor with tags on maio 15, 2017 by Helen Ians

amor de maeComo se aproxima no calendário de vocês o dia das mães, gostaria de fazer nesta noite, queridos irmãos, um lembrete. Para todos, neste plano espiritual, no lugar onde vocês moram, e em outros locais, o que falta a ser colocado em primeiro lugar é o amor.

Não existe amor mais puro do que o amor de mãe – que passa por tudo no lugar de seu filho, se fosse possível; que coloca  nas suas orações sempre o bem estar; que procura ensinar sempre o caminho do bem, do respeito, da verdade.

Na troca de um olhar afetuoso de uma mãe com vocês, vocês nem imaginam a quantidade de energia mais pura de que ele é carregado.

É deste amor que todos precisam. Deste amor advém o respeito ao teu próximo, o cuidado com você mesmo, com os que te cercam, com sua família, com seus amigos, aqueles que dividem o trabalho com vocês. É dele que vem o pensamento positivo, a energia pura e a esperança. A esperança de que dias melhores estão por vir, de que a paz não seja só uma palavra dita mas, sim,  uma experiência vivida.
Reflitam sobre todas as mensagens que serão deixadas nesta noite nesta Casa de Luz e lembrem-se, sim, do amor que todos recebemos porque ele não acaba. Este laço não se desfaz.

Agradeço a oportunidade de estar mais uma vez nesta Casa de Luz e peço a Deus que abençoe a todos.

ANA NERI

Erro, mas paro para pensar: onde foi que errei?

Posted in Conselhos with tags , , on maio 15, 2017 by Helen Ians

where did I failQue beleza! Palavras belíssimas acabamos de ouvir. A melhor maneira de se homenagear as mulheres benditas pela maternidade, e mesmo aquelas que não foram, mas na sua essência são. A melhor homenagem é que se elas nos deram à luz, que nós nos mantenhamos iluminados. Mas gostaria hoje de me dirigir aos homens.

Há uma palavra que, se eu estiver errado, por favor, aqueles que conhecem o idioma me corrijam… Esta palavra é contrição. O ato de contrição, pelo que eu entendo, não é arrependimento tão somente. Mas é mais profundo do que isso, é uma reflexão a respeito de eventuais erros cometidos para que não se repitam agora nem nunca mais.

É muito honrosa a presença nesta noite de grandes homens que comandaram outros tantos, às centenas, aos milhares, e que de sua forma conquistaram grande parte, juntando todos, o mundo inteiro.

Este poder dado pelos deuses, ou um só, como queiram, requer uma responsabilidade imensa e todos eles evoluíram espiritualmente quando, em alguma etapa, tiveram um momento de contrição. E reviram seus passos e olharam para frente, trilhando o novo caminho e, o mais importante de toda esta reflexão, está relacionado à justiça. Os momentos em que fizeram, como todos nós podemos, não sei se devemos, mas podemos fazer justiça. Não no sentido de julgar apenas. O grande julgamento é divino, não tenham nunca dúvida disso. Mas podemos avaliar, sim, aqueles que nos cercam, reconhecendo os que nos são leais, os que não são amigos, os que não são iguais. Que maravilha é isso.

Eu não gostaria de falar aqui hoje sobre minhas passagens, mas eu tenho recordação de todas elas e, em todas, sempre reconheci aqueles que nos fizeram, nos fazem e sempre farão o bem. Aqueles que nos indicam a luz, porque são iluminados, reconhecidos às suas mulheres, mães, antes esposas, depois mães. Porque são elas que nos dão, sempre nos deram, orgulho de podermos lutar sempre pela família.

Reparem na história de todos e verão sempre isto que estou dizendo agora. E como fizeram eles, maiores do que eu, com atos de contrição. Eu erro, eu posso até continuar andando, mas eu paro para pensar: Meus deuses, ou meu deus, onde foi que eu errei?

Isto é grandioso, mas gostaria de dizer a vocês, aqui presentes, que muitas vezes observando-os, eu sorrio porque alguns têm uma culpa risível, e se acham pecadores. Parem para pensar um pouco: os seus pecados, que vocês julgam ser, já estão perdoados quando vocês caminham em direção a uma resposta.

Como diz o grande Chefe presente, Nuvem Vermelha, sempre haverá respostas. O que pode lhes faltar, talvez, sejam explicações. E por que tentar explicar aquilo que se sente? Portanto, se vocês não conseguem eliminar, jogar fora, sentimentos menores, dúvidas desnecessárias, medos, temores, pelo menos, não admitam carregar culpa.

Fez? Repare e não repita se possível. E todos vocês, sem nenhuma exceção, não serão julgados por nada que já não tenha passado e já não tenha deixado marcas, mágoas, porque nenhum de vocês – até porque estão caminhando e se elevando espiritualmente – tem culpa. É como se disséssemos: passado a limpo, presente intenso, e só pode haver quando se assim sente, age, iluminados, como aquela luz que nossas mães, um dia nos deixaram viver. É isso, tão profundo, tão verdadeiro e tão simples assim.

Que os Deuses, ou um só, como os vejam, mantenham acesa a chama, nem que seja assim pequena, em cada um dos nossos corações. É uma honra, Senhor, ter proferido isso, não sei se propriamente, na sua presença, e na presença de grandes homens, nesta noite especial.

PEDRA ALTA

PEÃO: Espero que todos reflitam, como é sempre falado nesta casa, não pela superfície, mas pela profundeza. Que vocês mergulhem, sem medo, nestas profundezas, porque aquele que busca o caminho assim como todos aqui, estão evoluindo, estão se transformando – como é dito nesta casa – mas é preciso que haja o bom senso de cada um em perceber o que é feito dia a dia. O que cada um aqui faz dia a dia. Por muitas vezes, o que é visto é que alguns acabam pagando um preço muito alto pelas suas atitudes.

 

Faça ao próximo o que gostaria para você.

Posted in Conselhos with tags on maio 15, 2017 by Helen Ians

Gostaria de falar apenas uma frase e a saudação final.

Quero deixar como tarefa a cada um de vocês durante esta semana: façam a seu próximo exatamente aquilo que você gostaria que fizessem por você.

Tenham todos uma boa semana e que Deus nosso Pai os abençoe e ilumine.

JURACI

Preencha sua alma com seu sonho.

Posted in Ajuda espiritual on maio 15, 2017 by Helen Ians

PREENCHA SUA ALMA COM O SONHOPara dar sequencia ao que foi falado aqui, semana passada – embora todos acompanhem o blog – foi contada a história a todos do general que sempre ganhou todas as guerras, mas chegou a um ponto, depois de tantas vitórias, que a vitória já não tinha mais graça para ele. Dava na mesma ganhar ou perder.

Ele ficou sabendo de um sábio e o procurou. Sentou ao lado do sábio que acabou percebendo que, depois de algumas horas, ele não iria sair de seu lado. E o sábio perguntou: O que você quer? Ele respondeu: Eu já não vejo mais graça em nada, para mim tanto faz a vitória ou derrota. Tudo que eu vejo e onde estou também perdeu a graça. Parece que eu caí em uma sansara. São ações repetitivas, como foi dito semana passada: parece que caí na mesmice no dia a dia. Eu caí nesta roda de sansara e não estou conseguindo encontrar mais graça para nada.

O mestre, olhando nos seus olhos, disse: e quem o colocou nela?

Analisando pela profundeza, e não pela superfície, aquele que consegue conquistar o que lhe é de direito é porque deu o passo numa forma diferente e conseguiu perceber que se plantou da forma errada, vai colher da forma errada. Isto também foi dito na semana passada aos nossos irmãos aqui da mesa. Geralmente, o que o pessoal faz? Quer achar culpado. Eu queria isso, aquilo, não sei o que lá – e aí não consegue. Quando eu digo analisar pelas profundezas, eu não estou dizendo daquilo que se ganha ou se perde, que é na matéria. O que estou querendo dizer é aquilo que é ligado e que está incrustado em seu espírito, na sua alma. Traduzindo: o seu sonho.

Aquele que tem tristeza, depressão, isso e aquilo, o motivo, para aqueles que não sabem, é a falta de preencher a sua alma com o sonho. A sua alma fica vazia, por isso que acontece o que acontece. Qual é a solução?

Quando se olha para dentro de si e se sabe quem é – uma coisa é a pessoa pela pessoa, outra coisa é a essência. – aquilo que é e que já está incrustado em sua essência, na sua alma, é difícil de perceber o feito. Por isso muitos demoram a perceber o que fizeram.

Diferente de quem – e aí já cai na outra história, a do cozinheiro, onde o sábio que já estava com idade, precisava por alguém no lugar dele. O sábio mandou todos fazerem uma prova e aquele que fizesse um texto ficaria no seu lugar. Assim que ele disse que seria um poema, ele percebeu que lá atrás, perto dos discípulos, mais afastado, o cozinheiro do lugar se iluminou. Ele percebeu uma luz nos olhos do cozinheiro.
Só que, eis a questão: como é que vou colocar o cozinheiro para fazer o teste? Se ele ganhar, pelo que eu senti, pelo que eu vi iluminado…,(foi um sinal, até porque estas pessoas tem a sensibilidade apurada), se ele ganhar, eles não vão aceitá-lo para comandá-los. O que vou fazer? Ele pensou, pensou e disse: vou seguir os meus instintos. Vou seguir o que eu vi. E vamos ver o que vai acontecer.

Todos já tinham escolhido: era o rapaz matuto que escrevia muito bem. Tinha o dom da escrita e fez uma comparação: aquele que tem o espírito transformado, e encontra a transformação, é preciso que naquele espelho que reflete sua imagem, é preciso que limpe e não guarde poeira, todos os dias. É preciso todos os dias uma luta diária, todos os dias uma limpeza em seu espirito, em sua alma, que ele traduziu como seu espelho.

No dia seguinte, foi encontrada uma folha que dizia assim: se eu estou unificado com o meu espirito e minha alma, neste espelho refletido o sol, por si só a transformação, por si só o sagrado estará unificando e eu estarei unificado com todos. E o sol vai refletir neste espelho para todos que estão ao lado, e a mim também.

O que ele quis dizer? Aquele que já está unificado, aquele que já está dando o passo certo, não precisa ficar todos os dias tirando a poeira. Que é justamente o que complica alguns aqui. Como diz meu general: eu não preciso aqui trabalhar em cima do acerto, a gente trabalha em cima do erro. O acerto, parabéns. Não faz mais que obrigação.

Eu pego o caminho contrário. E o certo é pegar o caminho contrário. O caminho contrário é este – vamos trabalhar o erro. Se já está acertando, se já está unificado, se não precisa é porque já entendeu, já se blindou, como é dito aqui nesta casa, e toda energia ruim foi mandada embora. Tudo aquilo que atrapalha porque o sujeito ou a sujeita antecipou aquilo que poderia acontecer lá para frente. Por isso que alguns perdem muito – não conseguem enxergar o dia seguinte, não conseguem enxergar três dias depois, não conseguem enxergar atrás da outra montanha –  como é falado pelo Chefe – que está ali.

E aí vão dando o jeitinho, parece até que tem uma expressão aqui – o jeitinho brasileiro. Eu teria vergonha de dizer isso. Eu dou uma limpada ali, outra lá… fica tudo certo.

Só que ninguém é bobo. Todo mundo sente as coisas e, se não pegar hoje, pega amanhã, ou pega depois. Você imagina uma energia que atua e está olhando para você e dizendo: por que fez isto se tudo estava certo? Por que deixou a energia lá? Por que já não dispensou, já não mandou embora, já ateou fogo? A pergunta é: será que gosta de passar o pano? E vai passar o pano até quando?

Como diz Ragnar, se a onda é tão grande ate o drakar pode virar. E ele viu muitos.

Isto de passar o pano resolve, para onda pequena. Para onda grande, não resolve. Aí eu junto com outra história que é contada hoje, como foi falado a semana passada, também do mestre, do sábio.

Vão fazendo a ligação de uma coisa com a outra.

Ele percebe que um dos seus discípulos já está rezando há quase cinco horas. Até que ele se aproxima e pergunta para o moço: você já está há muito tempo aí, por que está rezando tanto?

Nisto, ele disse: mestre, eu estou aqui rezando muito porque eu quero ficar com a mente igual à do Buddha. E o mestre o olha e se retira apenas com o olhar. Volta com uma madeira e uma lixa na mão. Senta ao lado do moço que não para de rezar e começa a lixar a madeira. A barulheira começa a incomodar o moço que lhe pergunta: mestre o que está acontecendo? O mestre responde: estou lixando porque quero transformar a madeira em um espelho. O discípulo diz: mas mestre você não vai conseguir transformar a madeira em espelho.
O mestre: sim, e você também não. Você nunca vai ter a mente do Buddha.

E o mestre olhando no olho dele diz: filho, fala uma coisa para mim, se você quer que uma carruagem ande, onde você bate, no cavalo ou na carroça? Evidente, mestre, que é o no cavalo. O mestre diz: Sim, então você para de bater na carroça que é o que você está fazendo.

Quantos aqui batem e batem na carroça em vez de bater no cavalo. Querem que a carruagem ande. Querem preencher sua alma, seu sonho? Parem de bater na carroça e batam no cavalo, aí a carruagem vai andar.

Para a transformação, a evolução, não adianta ficar lá 40 horas rezando, ou como a gente está fazendo aqui agora, nesta reunião, e da porta para fora, passar o pano na poeira. Ou a pessoa é convicta daquilo que está fazendo, como diz Ragnar, ou acredita em sua embarcação, ou acredita naquele que está dentro, como ele está dizendo e estão me traduzindo, e aquele que dá trabalho dentro, é jogado ao mar. Aquele que não está condizendo com a embarcação não fica. Por isso que uns dão certo e outros não. Não estou falando de dinheiro, nem de bens materiais, nada disso. Estou falando de sonho, de conquista pela conquista, de graça. É o que acontece. Deu trabalho na embarcação, como ele fazia, joga no mar.

E hoje em dia para vocês, onde não tem nada disso, não tem este tipo de guerra e as coisas são mais simples, como foi dito pelo irmão Pedra alta, o simples é saber falar não. Ninguém está aqui na Terra para agradar ninguém. Não estou dizendo que é para sair por aí, maltratando os outros. Estou falando de você. Os outros são os outros – problema deles. Agradar a gregos e troianos, parece que não combina e nunca vai combinar.

Nas minhas andanças, quantos que eu vejo darem certo e conquistarem. E quantos também eu vejo que o que falta é o saber falar. Será que a pessoa não percebe o atraso no seu caminho? É isso que muitos de nós não conseguem entender. Eu falo por mim, por Ragnar, pelo Chefe, para todos é a mesma coisa: não dá para entender.

Aí eu me lembro (para encerrar), de certo moço chamado Alexandre o Magno, quando cruzou com os celtas – pelo menos é o que diz a história – às margens do rio Danúbio, ele encontra um druida (para quem não sabe depois pesquisa…) e perguntou do que os celtas tinham medo. O druida disse: eles não temem a nada, mas temem que o céu caia sobre a Terra ou a Terra se eleve ao céu. É isso que eles temem.

Isso quer dizer o que, analisando elas profundezas da história? Se cada coisa estiver no seu lugar, o céu no seu lugar, a Terra no seu lugar, não há motivo para o medo. A partir daí que não há motivo para medo, é seguir em frente, ou na Terra, ou nos céus Ou como diz Ragnar, com a espada cravada na Terra, ou… Cada um faça a sua escolha, a sua espada flutuando, navegando, no mar. Ele completa que há momentos em que é preciso que todos soltem o remo, para você encontrar o seu deus, sentado no centro da sua embarcação. E ele vai estar lá.

Há momentos em que é preciso soltar o remo para que você encontre o seu deus no centro do seu drakar.

C.: posso fazer uma observação? Uma das coisas mais lindas que aprendi com ele, aquelas coisas que a gente ouve no vento… É que é preciso ter coragem para seguir, mas é preciso muito mais coragem para voltar. O mais bonito é que ele conseguia ter para onde voltar, por ter conquistado alguma coisa.

Está certo o comentário. Por que ele voltava? Porque na verdade ele nunca saiu, apenas soltou os remos para que pudesse fazer novamente o seu encontro consigo mesmo. E isto estava no centro de sua embarcação. Vocês viram isso. Por isso que volta.

Esta é a diferença de um caminho e de outro. Esta é a diferença de quem luta para a sua conquista que é transformada em sonho, em alegria, em paz, e para quem apenas fica achando que a carruagem vai andar se bater na carroça. É com atitude, que é batendo nos cavalos, que a carruagem vai andar. É ter atitude – esta é a continuação da história. Uma hora a pessoa acerta no cavalo e o cavalo anda. Este é o ponto.

Agora, vocês imaginam o que estou dizendo, vocês dão um passo para a coisa ser transformada. Se estão aqui, estão dando abertura para toda a energia trabalhar a seu favor, imaginem a tristeza que é – porque alguns acham que o espírito não está vendo, é claro que estamos vendo… Eu não estou falando, até porque aqui nesta Casa, a gente não faz esta coisa de “olha, pega as asas e saia batendo” e também não é para ficar condenando ou jugando ninguém.

A tristeza que eu digo é que vocês estão vindo, estão dando o passo, estão escutando, assimilando da forma que cada um assimila, de acordo com o seu momento. Só que a tristeza aparece quando a gente faz de tudo para colocar no caminho da pessoa aquilo que ela necessita, e a pessoa não dá o passo. Ou porque está batendo na carroça, ou porque em vez de dar o pessoa, está rezando… demasiadamente, como é falado. Sim, tem que orar, tem que rezar só que no equilíbrio. E no momento em que é preciso, pega a espada e crava, dizendo: eu vou conquistar! E ter a coragem, como foi dito aqui na história, do céu cair sobre a Terra ou a Terra se elevar ao céu. Neste momento, a pessoa não está em harmonia com si mesma. Aí o que acontece? Não consegue sentir aquilo que o plano espiritual está colocando sem seu caminho. isto gera uma tristeza entre todos aqui, cada um de sua forma, a ponto de até a gente escutar “não é possível que fez o que fez”, ou “não é possível que continua fazendo”.

Ou “ parece que acordou”, ou “que bom, pegou o caminho certo”. Este é o caminho do crescimento de cada um de vocês aqui. Que assim seja.

PEÃO

A busca da verdade

Posted in Ajuda espiritual on maio 15, 2017 by Helen Ians

inside us

Em um caminho onde se busca a verdade, o crescimento é tão certo quanto a certeza de que o bem está acima de tudo.

Verdade é sempre o melhor caminho porém nem sempre o mais fácil.

– ** –

Nada do que se leva na guerra é tão importante quanto aquilo que levamos dentro de nós para qualquer lugar que seja.

Seja na guerra ou na paz, nada muda o que temos dentro dento de nós como princípios. Tudo aquilo que aprendemos, estará conosco. Tudo que resolvemos ter em nossas vidas andará conosco. Então escolham a alegria, a paz e a conquista.

Nada pode modificar aquilo que guardamos em nossos corações. Porém está em nossas mãos escolher o que carregar.

 PSICOGRAFIA VIVIANE

ENCERRAMENTO

Nada pode modificar aquilo que guardamos em nossos corações… Não preciso falar mais nada.

Vamos encerrar. Agradeço a todos aqui na mesa pela força de vontade de cada um, que eu sei que é muita, e pela energia que é doada.

Agradeço a todos vocês que acompanham a corrente: a nós.

Que lutem! Porque uma coisa é que vocês podem fugir de vocês mesmos. Mas tem coisas de que vocês não poderão fugir nunca – daquilo que está contido em vossos corações, fugir do seu espirito e daquilo que está já incrustado em sua alma.

Que assim seja.

PEAO

Abertura

Posted in Casa de Luz with tags , on maio 1, 2017 by Helen Ians

Neste momento as correntes vão se formando para fazer a grande limpeza tanto aqui como também na residência de todos vocês, guerreiros, e nos lugares onde os guerreiros passam, trabalham.

A partir daí, com as mensagens, os guerreiros se transformam lua a lua, e colocam em prática, e aquilo que escutam e carregam dentro de si em forma de paz, esperança e alegria. Que os guerreiros sejam bem vindos, que o Grande Espírito abençoe a todos.

Neste momento de limpeza, fiquem concentrados nesta grande luz tomando conta de cada um, para que no momento do passe, também sintam toda a energia para que os guerreiros caminhem tranquilos, se transformando lua a lua, dia a dia.

NUVEM VERMELHA