Tomem a rédea do cavalo. Se não o cavalo vai embora e não volta mais.

circleQue a Santa Luzia abençoe vocês. Onde está a vela vermelha acesa? De onde veio, foi por acaso de onde a castanhola bate? Parece que alguém me chamou aqui, falaram em armadura, falaram em espada…

Aqui foi trazido nesta noite, como Ana Neri disse, olhar com os olhos da alma, o Pedra Alta sobre a consciência, a irmã Juraci sobre atitude e assim como foi dito nestes dias para trás, lutar como um só.

O lutar como um só é lutar com todas as armas que você tem que é aquilo que Deus deu a cada um. Assim como pode até ser, olhar com os olhos da alma, consciência e atitude, assim como lutar e falar na hora certa, esperar o momento certo de agir, com a esperança, com a fé e, em se tratando de consciência – aproveitando – para quem não sabe é dito que a consciência se dá por contraste. O que quer dizer? Em uma forma bonita, quer dizer, quando se perde, depois  é que dá valor. Em uma forma mais terra, depois que faz a besteira, se dá conta de que fez.

E se a consciência se dá através do contraste, a hora que o sujeito ou a sujeita bate a cabeça no muro, aí só tem dois caminhos. E eu acredito que o sábio, assim como todos, usa no seu caminho uma grande circunferência onde, no ponto central desta circunferência, é onde está aquilo que vocês precisam para usar no dia a dia. Se tratando de circunferência, se passar a circunferência, você sendo o eixo dela, com sua sabedoria vai sair a fala, vai sair o momento, tudo aquilo que está contido dentro de vocês de forma limpa. É claro que vocês podem caminhar pensando que existe uma circunferência – seria o limite, onde existe um escudo que protege vocês, na minha opinião, protege vocês de vocês mesmos. O fator externo é uma coisa, o fator interno é outra coisa. Querer fugir, escapar ou não querer ver, como bem disse a irmã Juraci , de uma outra forma, sobre atitudes… tem alguns que pensam assim: sou protegido, sou isso e aquilo e não se dá conta de que às vezes as coisas acontecem não porque tem que acontecer.

Para mim, quando eu pego o caminho contrário, o “tinha que acontecer” não tinha nada, aconteceu porque você usou o seu ponto central da sabedoria de forma errada. Se as suas armas estão lá e é claro que a gente parte do princípio de que a arma está bem afiada, a munição certa, o escudo na lugar certo, o que resta? Por que caiu, por que bateu a cara no muro? Não é porque Deus não quis. Até porque se Deus for começar a olhar tudo isso daí, é certeza que ele junta as coisas, põe na mala e vai embora.

Agora usar o ponto central assim como sabedoria – como eu disse a consciência vem do contraste.  Na hora que o sujeito toma um baque, um susto – é para se dar conta do que está fazendo com si mesmo e com o que queria.

Lembro aqui uma história que cai  como uma luva nesta noite, do sujeito que tinha uma fazenda bonita, a terra bem arada, uma fazendo cuidada. Em compensação tinha um vizinho que a sua fazenda estava abandonada, largada, nada plantado, tudo de qualquer jeito. Passado um tempo, começou a fazenda vizinha a ficar ajeitada, começou a melhorar, começou a plantação a crescer. Tudo começou a mudar. Até que uma bela tarde um vizinho encontrou com o outro na cerca e o vizinho da fazenda bonita – todo dia ele achava o seu ponto central e usava o que tinha na sua sabedoria dentro daquilo que ele mais gostava que eram suas terras.

  • Boa tarde, você trabalha aqui?
  • Não. Eu comprei há pouco tempo, estava abandonada.
  • A fazenda era muita grande e eu não sabia que ele tinha vendido. Estou percebendo que a fazenda esta ficando bonita porque realmente estava abandonada, ao Deus dará. (É o famoso “a canoa está indo e não tem direção alguma – é o maior erro que pode acontecer”).

Nisso, o sujeito olhou para cara do outro:

  • Eu estou ajeitando devagar do jeito que dá, vou fazendo uma coisa, outra, tem uma turma aí trabalhando para mim e eu vou deixar ela do jeito que tem que ficar, bonita, produtiva de forma que meus filhos e meus netos podem usar isso aqui.
  • E o sujeito falou: graças a Deus que você está dando jeito aqui. O moço olhou para cara do moço da fazenda já bonita e disse:
  • Graças a Deus, mas você tinha que ver como estava isso daqui quando Deus estava tomando conta.

Isso quer dizer: não adianta só Deus, não adianta só a magia, a canoa estar ao Deus dará, ou “estou deixando a vida me levar”.

Se você não tomar a rédea para si mesmo, nada acontece. Se você não direcionar aquilo que você realmente busca, o que você realmente quer, e lutar por aquilo – só que da forma certa, buscando no seu eixo central a sua sabedoria onde, na circunferência, já está contido aquilo que você realmente precisa, e não precisa buscar fora nada… A não ser que sua raiz esteja errada, a não ser que o seu conceito de vida está errado – aí sim precisa mudar tudo. Por muitas vezes, se paga um preço muito alto quando o sujeito olha dentro de si e vê as besteiradas que fez, aí o preço é alto porque tem coisa que fica tarde demais para consertar.

Deixar as coisas ao Deus dará, para quem não sabe, eu vou falar pela segunda vez isso: o maior problema nesta Casa é interpretação de texto. Às vezes é dito uma coisa e o sujeito entende outra. Quando eu falo às vezes , uma hora a magia, há momentos que a energia vai tomar conta do seu caminho e há momentos que você deve direcionar o caminho. Isto não quer dizer que, quando a magia estiver tomando conta, você vai deixar sua vida ao Deus dará. Porque senão é melhor olhar o ponto central, pegar todas as suas armas e jogar fora. O lutar da forma certa ou o esperar da forma certa, porque uma hora, realmente, depois da luta vem a calma, vem a magia, vem a energia que é para ser sentida, como já foi dito aqui. Mas é preciso continuar tomando conta, lutando por aquilo que deseja.

É claro que a luta certa e a vitória certa só existe com coerência. A coerência maior é olhar para dentro de vocês e serem coerentes com vocês mesmos. Uma coisa é o que a tal sociedade quer. Se tudo tem um princípio, quem diz que o princípio criado lá para atrás está certo, tem seu devido valor? Não estou falando de moral, de ética. Estou falando de responsabilidade. Para mim, o ser responsável é aquele que conduz o seu caminho para aquilo que quer. Em um momento, uma guerra maior, reunidas suas armas, e em outro momento é fazer um pouco menos, é dispender um pouco de energia e deixar diferente da guerra principal. Há momentos em que a energia toma conta e há momentos em que você deve lutar por aquilo que busca. Sendo que o princípio básico de tudo isso é que se a sua alma não está completa, você é um sujeito incompleto. É por isso que quando a consciência ou o sujeito acorda, aí vai se dar conta do que está fazendo. É a mesma coisa de quem quer encontrar a cura nesta Casa. Os xamãs estão aí, já passaram até de várias circunferências, agora se o sujeito ficar em casa falando “Deus me cure” – realmente vai curar, sim, não sei onde, não sei que dia… Como se o sujeito fosse quem Deus deveria olhar para ele naquele momento…

Outra coisa é quando se faz uma oração e você se aproxima de Deus. Para mim, se aproximar de Deus é se aproximar de si mesmo. Como eu já disse, Deus não julga atitude, julga o coração. Até porque tudo aquilo que existe é momento. O principio da coisa está certo? Senhoras e senhores, são só vocês que sabem o que está falando dentro de vocês. Não é o sujeito, a família ou o outro – ninguém mais sabe. Só vocês tem a rédea do cavalo de vocês, mais ninguém. E enquanto vocês não pegarem nesta rédea e tocarem o cavalo, ele vai ficar lá… Interpretação do texto: lutem por aquilo que sua alma quer.

Eu vejo às vezes o sentimento dentro de um – a gente volta para a sabedoria, a arma está certa, está tudo certo mas usa a espada errada, o momento errado e não é sincero com si mesmo. Parece que o caminho não está bom ou não é para ser… Papo errado. E só vocês sabem o momento certo de fazer a guerra de vocês por aquilo que vocês realmente querem, para caminharem preenchidos. Sabedoria mais coerência é igual a vitória, ou força e coerência é igual vitória. Uma hora usa um, outra hora usa outro. E só vocês sabem. Mais ninguém.

Por isso esqueçam o barco à deriva e tomem a rédea do cavalo se não o cavalo vai embora e não volta mais.

Agradeço a vela. Não tem mais nada para falar. Que cada um faça do seu caminho um caminho melhor, de força, um caminho de sabedoria onde a sabedoria maior está dentro de cada um, onde não deixe chegar a este ponto que a consciência se dá através do contraste, porque aí a coisa já está degringolada. Antecipem, aqueles que usam  sabedoria, os fatos: será que devo? Será que não? A não ser que a pessoa não é fiel e não existe uma união entre o que pensa, o que fala e o que sente.

Que a Santa Luzia abençoe a cada um de vocês.

PEÃO

NUVEM: Que os guerreiros tenham boas luas pela frente, reflitam nas mensagens que foram deixadas nesta Casa, busquem a si mesmos que os guerreiros já estarão buscando o Grande Espírito. Cacique agradece aos guerreiros de luz, pela limpeza, pela energia, aos grandes guerreiros xamãs pela cura, pelo discernimento, como diz guerreiro Lobato, de mostrar aos guerreiros que quando se tem boa vontade, os guerreiros encontram realmente aquilo que desejam.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: