Consciência de que estão protegidos.

spiritual-protectionA vida é cheia de percalços, coisas que acontecem aqui e ali, no dia-a-dia e isso são coisas normais. Eu quero que vocês entendam, principalmente aqueles que já frequentam a Casa e que estão em sintonia com a corrente há tanto tempo, e mesmo aqueles que são ainda novos – todos são bem vindos, vocês sabem disso. Eu quero que vocês entendam, não, eu quero que vocês sintam, quero que vocês saibam que vocês são protegidos. Não que os outros que não frequentam a Casa ou que não estejam presentes ou que não estejam em sintonia, não o estejam – todos são protegidos por uma lei maior do que esta dos homens. Não tenho dúvida disso. Mas vocês podem ter a consciência desta proteção, chamem como quiser, a fé, a crença, não importa o termo mas o conceito de se sentir acompanhado.

A primeira reação é razoável, nós entendemos, eu até posso ouvir: por que comigo? E eu lhes respondo porque com você, com você, com o outro… todo mundo… a diferença está em todas as situações daqueles que tem sintonia, que acreditam em algo além das possibilidades, e aquela sensação que fica  – mostre-me suas mãos, eu lhes diria: falta algum dedo? Entenderam o que eu disse? Não são anéis que fazem a vida. Alegram, colorem, é interessante isso, mas não é esta a essência. A essência é estar íntegro, apesar de qualquer coisa. Se vocês tem isto na mente, vão sentir no coração.

Uma coisa é a intuição, sobre a qual tanto falamos, e tentamos conceituar algo tão dificil de definição – mas é aquilo que nos avisa antes. É aquilo que faz fisicamente sentir que algo está errado, não combina com a minha energia. Isto é intuição. Vocês tem isso, todos tem isso mas aqueles que procuram se desenvolver espiritualmente, tem isto mais nítido. É tão claro. Prestem atenção nestes avisos, nestes sinais – é uma coisa. Agora achar-se isento de tudo o que o cerca por causa disso é o que não pode acontecer. Não dizem por aí – orai e vigiai? Há quantos séculos se diz isso em todas as religiões, de todas as formas. Muito bem, eu tenho minha fé, eu tenho minha intuição, eu me sinto protegido porque sou protegido mas isto não impede de estar atento. Se você atravessar as avenidas e sem olhar, o cavalo, a carruagem passa em cima, tendo vocês proteção ou não.

É isso o que estou dizendo claramente. Atentos, vivos, todavia não o tempo todo defensivos. Quantas vezes já foi dito aqui por várias entidades, diversas égides, do escudo, da espada, da proteção em torno de si. Sem dúvida. Mas não se pode andar por aí – meu aparelho gostaria, todo armado da cabeça ao pé e matando todo mundo, é guerreiro, se ofende, se indigna como muitos de vocês. Mas não é com armadura o tempo todo que se defende assim. Todavia, com um escudo interior da auto-percepção, da sua autoconfiança… se acontece não é culpa de vocês, não é que vocês não estavam atentos pois as coisas acontecem mas percebam que, no acontecimento, com vocês especialmente, sempre se tem a sensação, depois da aflição, de que se perdeu muito pouco ou quase nada, nada realmente – se não, alguns anéis, mas aqui estão seus dados, sua integridade, sua dignidade, sua força interior e ninguém nunca vai se abalar.

Desculpe, eu estou muito duro hoje. Não é o meu feitio mas é preciso que vocês acordem para isso. O céu não quer reconhecimento o tempo todo. Deus não quer que se agradeça o tempo todo. O universo quer, sim, que vocês tenham consciência de sua própria grandeza, de seu próprio valor e de sua própria proteção. Isto posto, é o céu que lhes agradece por sua conduta. É o oposto. Rezem, orem, sim, reflitam, mas atentos. É como se um guerreiro, em outra época – tragam daquela época para cá, com inimigos em volta – e ele se ajoelha, olha para o chão e começa a rezar. Não duraria meia hora, mesmo que distraído com o sagrado, posto que, ajoelhado no chão – no chão é a realidade. Orem, sim, mas vigiem todavia. Combinados?

Vocês não estão sozinhos e pela graça de Deus nós temos a sua amizade, a sua companhia – coisas que muitas vezes vocês não sentem em relação a si mesmos – sua própria companhia, e sua própria percepção de quem são, e quão grandes são – xamãs, príncipes, reis de si mesmos, é por isso que agradecemos sua companhia. Nós é que agradecemos a vocês mas não gostamos de distraídos com fé. E em tudo que acontecer sempre verifiquem se os seus dedinhos estão lá no lugar, o resto são anéis. Eu até gosto deles mas não nasci com eles.

Que sirva para cada um de vocês que tenha passado por alguma situação em que se sentiu ameaçado. A ameaça está aí, lá fora, em algum lugar. Mas tenham em mente – esta nação não é de ontem. Coisas que acontecem estão em menor grau, em menor número cada dia mais. Eu já disse, a guerra a acabou e vocês são vencedores. Vai haver ainda ameaças, sim! Todavia não precisam andar todos armados, matando todo mundo. É assim. Que Deus nos dê a segurança. Não a segurança militar, guerreira, mas a segurança de ter certeza de quem somos e de nosso papel, cada um com o seu. Perdoe-me, Senhor, hoje estou muito bravo. Sou mais doce do que isso mas eu precisava ser bravo. Que tenhamos uma linda noite e dias deslumbrantes à frente.

PEDRA ALTA

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: