Reconstruir, com dignidade, perseverança: a fé não se perdeu.

hiddenHidden. Acho que é assim que se pronuncia, uma palavra que aprendi tempos atrás, na América do Norte. A língua dos guerreiros de lá. É “escondido”, “oculto”. Mas hidden tem para mim um significado além disso: preservado. Protegido. Pois bem, procurem dentro de vocês o hidden, o que está interno, oculto, e protegido. Não são valores da mente, mas preciosidades da alma. Hidden.

Hidden “oculta”! também, agora nem tanto, é a guerra. Empreendida por espíritos elevados que querem ver a paz e a harmonia nesta Terra. Portanto, há tempos eu disse para vocês que vocês veriam a vitória. Mas que haveriam também de reconstruir porque muita coisa caiu, muita coisa ruiu, veio abaixo, ao chão. E a maioria destas coisas valia exatamente nada. Portanto, não perderam muito e será, com muito trabalho, relativamente fácil recomeçar, com as boas pedras, as pedras lapidadas que sobraram. Entenderam?

Mas cada dia, nestes últimos dias e nos próximos, é necessário que vocês que já atingiram, vamos dizer, já subiram alguns degraus no desenvolvimento espiritual, não olhem para trás.

Continuem andando e subindo – e cuidado com o ruído que parece estar aí para perturbá-los, e perturba mesmo. Eu tenho visto isto entre vocês. Mas a diferença entre vocês e os outros é o merecimento por estar procurando e muitas vezes já tendo atingido este desenvolvimento que procura. Por isso, merecem um discernimento maior do que o dos outros que apenas se deixam levar. Então, a diferença entre vocês e eles é que quando vocês se desequilibram, perdem o controle, expõem demais o seu hidden, o seu interno. Rapidamente vocês voltam, revoltam-se, e de novo conseguem ver, sentir, estabilidade, raciocínio frio, emoções agradáveis e controladas.

Mas o momento ainda é perigoso, por isso que vocês saiam disso e demorem a voltar. Aí sim vem a revolta, a indignação excessiva, o quase ódio. Eu prefiro – nós todos da corrente preferimos – que vocês não sintam nada disso e substituam estes sentimentos ruins por uma indiferença. E refiro ser indiferente ao que já passou, ao que já era, ao que ruiu. Não importam mais os motivos, a motivação agora é subir mais um degrau ou dois, olhar para cima, vendo que o que foi perdido nunca pertenceu a nenhum de vocês. Seus valores são outros, seu caminho é outro. Seu destino foi e continua a ser construído por cada um de vocês. Vocês vão chegar onde queiram chegar. Vocês vão ver onde queiram ver e vão colher o que plantaram na caminhada. Apenas isso.

Cuidado, principalmente com o que vocês… Se vocês estão caminhando em frente, para cima, não vão tropeçar no degrau porque há luz no seu caminho. Mas cuidado com o que ouvem, atrás, embaixo de vocês. Vamos nos fingir de surdos a isso e abrir nossos sentidos, todos eles, mais de cinco eu garanto, se não dez, para coisas mais elevadas, para as coisas que estão aqui, agora, e este é o futuro.

Esta é uma oportunidade, às vezes a guerra – às vezes – mesmo em cima de algo destruído, faz renascer algo melhor. Não digo que a guerra seja necessária, mas ela é contingencial, ela acontece. De tempos em tempos, aqui, acolá, sempre foi assim. Eu espero que das ruínas, renasça, e não estou nem falando da nação, do país, nada. Estou falando de vocês, pessoas, gente. Se vocês são ruínas, certamente de templos sagrados e de belas colunas, e de obras de arte, que podem ser restaurados. Esta é a diferença entre quem procura se desenvolver espiritualmente e a diferença entre vocês e aqueles que são indiferentes a qualquer tipo de mudança que os desafiam. E que os faça perder uma situação cômoda. Só que isso acabou. E os vencedores são vocês.

Muitos foram diretamente à luta, outros, não. Mas todos vocês são guerreiros. Eu vi pessoas, e ouvi pessoas, quietinhas, no seu silêncio, rezando – e não para si – para não ver tão perto de si o sofrimento daqueles que de fato perderam, em algum momento, o que para eles valia muito. Eu não estou me referindo a poder, estou me referindo a pessoas próximas de vocês. E isto é muito bonito. A diferença e a semelhança entre guerreiros – aqueles que empunham o escudo, o arco e a flecha, com os cavalos pintados à frente de um exército, e aqueles que ajudam este exército, cuidando até dos feridos, preparando o alimento para os soldados. Entre vocês há muito destes que nós vimos, honrados e agradecidos, pessoas que não perderam em momento nenhum a sua fé, por mais difíceis ou intransponíveis até que pudessem parecer os obstáculos. Se isso ocorre a nível individual, imagine a força disso a nível de toda uma nação.

Reconstruir, com dignidade, perseverança, porque a fé não se perdeu. E vocês verão novos dias ainda mais brilhantes, nesta terra que ainda está, e por muito tempo será, abençoada. E eu peço de coração que possa ser assim porque vocês merecem a luz.
A outra palavra linda, bem mais antiga, se uma era hidden, oculto, que seja hoje aberta, nítida a luz e que seja esta palavra que eu gostaria que vocês repetissem comigo: Amém. E assim vai ser. Nós temos absoluta certeza disso.

Muito obrigado Senhor, perdoe-me se me estendi. Hoje é uma noite especial, para mim principalmente. Ah! Se vocês pudessem ver quantos líderes, quantos chefes de Estado, quantos reis, quantos xamãs, quantos estão aqui presentes, lembrando-se não de seus erros – que todos um dia cometeram – mas da oportunidade da graça de terem um dia lutado por suas nações e são por isso até hoje reconhecidos pela Humanidade. Muito agradecido a todas estas elevadas presenças que me dizem muito de perto pelo respeito que tenho a cada uma delas. Obrigado.

PEDRA ALTA

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: